Por que Kerala é um lugar especial e você deveria visitar? #Humanbynature

1
118

Por que Kerala é um lugar tão especial e por que você deveria visitá-la pelo menos uma vez na vida?

Fui convidada a participar do projeto #Humanbynature, do Ministério do Turismo de Kerala. E vou te contar o porquê de amar tanto aquele cantinho (Estado), que fica no Sul da Índia.

Aperta o play para ver o vídeo oficial da campanha e entrar um pouco na ”vibe” de Kerala.

Kerala surgiu na minha vida de repente. Eu nunca tinha planejado viajar para a Índia.

Um dia resolvi me inscrever no projeto Kerala Blog Express, uma viagem para influenciadores de viagem promovida pelo Ministério do Turismo do local.

O que dizer da minha surpresa ao receber um email falando da aprovação da minha candidatura?!?

Mas fato é que essa era apenas uma etapa do processo. Para chegar lá, eu precisava passar ainda pelo “tribunal das redes sociais” e pedir votos para ficar entre os 30 finalistas que participariam da 4a edição da cobiçada Kerala Blog Express. 

Quando comecei minha campanha, primeiramente no Snapchat, eu jamais imaginei que pudesse conquistar um lugar naquela viagem.

Eu sou profundamente grata a todos que votaram, divulgaram, indicaram e que mandaram aquele link para o grupo da família no Whatsapp. <3

Escrevo com lágrimas nos olhos, pois essa viagem mudou a minha vida e isso nunca teria sido possível sem esse imenso carinho de você, que acompanha, apoia meu trabalho e torce por mim. Eu sou eternamente grata!

Kerala me escolheu

Eu fiz as malas com o coração nas mãos. Ficaria na Índia 18 dias, sem minha filha, na época com apenas dois anos de idade. Eu chorei, de alegria e de medo ao mesmo tempo. Mas embarquei… Embarquei para a viagem que mudaria para sempre a minha história.

View this post on Instagram

A post shared by Gisele Almeida *Travel Blogger (@viajarpelaeuropa) on

Durante aquela viagem a Kerala fui apresentada a uma versão de mim mesma que eu ainda não tinha conhecido. Ou talvez tenha sido apresentada a uma parte de mim que, por algum motivo, estava adormecida. 

Foi em Munnar, uma pitoresca região montanhosa do estado de Kerala, no Sul da Índia, que experimentei essa sensação pela primeira vez, ou que me dei conta desse sentimento. 

Munnar fica situada na confluência de três montanhas. O local é conhecido por ser a maior região de cultivo de chá da Índia. Para chegar até o nosso destino, passamos pelas curvas de penhascos, dirigindo cautelosamente pelas estradas indianas. Estradas tão estreitas que mal passavam dois carros um ao lado do outro. Uma ultrapassagem ali é algo inimaginável, sabe?

Essa jornada nas montanhas transmitia ao mesmo tempo a calma e a melancolia da natureza que nos cercava e a adrenalina da ilusão de estarmos à beira de um precipício, literalmente.

Estava em uma altitude tão elevada que nem sequer avistava o chão.

Sem contar que quanto mais o tempo passava, mais parecia que não chegaríamos.

Para falar a verdade, eu nem sequer estava com pressa. Eu  apreciava cada curva daquele caminho tentando absorver ao máximo todo o ar misterioso que aquele lugar me transmitia.

Em um certo momento, o azul do céu estava tão próximo da minha cabeça que a sensação era de que em dada altura chegaria ao céu.  

View this post on Instagram

A post shared by Gisele Almeida *Travel Blogger (@viajarpelaeuropa) on

Para ser bem sincera, não existe outra conotação para a experiência que vivi em Munnar do que a de ter chegado ao céu mesmo. 

Já era noite. E foi ali, perdida no meio das montanhas do Sul da Índia, que eu me encontrei.

Naquela noite parece que todas as correntes que aprisionavam o meu ser foram quebradas e finalmente me libertei de mim mesma.

Não sei se foi o efeito da altitude que abalou os meus neurônios e me deixou ‘embriagada’ (risos), sem sequer ter bebido álcool, ou se foi o da sensação de estar no meio do nada.

Sei que fui ali que me encontrei.

Ali vivi profundamente essa libertadora sensação de ser eu mesma, de não precisar exercer nenhum papel na sociedade. Sem rótulos, personagem, personalidade ou ego. Era apenas eu. 

Dancei sem vergonha de ser feliz (desculpa o clichê) em frente a uma fogueira, no alto de uma montanha, perdida na Índia, sob um céu lindamente estrelado.

Mal sabia eu que esse era apenas o início desse novo capítulo da minha história…

Essa viagem mudou a minha visão do mundo, minha visão de mim e minha vontade de aprender, de melhorar como ser humano, como profissional. Enxergou o mundo de uma nova forma e minha existência com outros olhos.

Existe uma Gi antes e uma Gi pós-Kerala.

Durante os dias que se seguiram nessa viagem eu me entreguei completamente a essa “nova” versão de mim. Senti que estava conectada com minha essência. Me permiti dançar quando tinha vontade, mesmo sem música, de me conectar com os locais, de chorar e sorrir sem motivos várias vezes ao dia.

Acho que é isso, Kerala te deixa se permitir, sabe?

Talvez tenha sido o contato com a natureza, aquelas montanhas, que me fizerem conectar com minha criança interior.

Mineira e bicho do mato que sou, me revigoro e me fortaleço na natureza, e Kerala me presenteou com toda sua natureza de tirar o fôlego.

Em Kerala me permiti respirar o momento, de viver aquele tempo, que parecia estar parado nas encantadoras “curvas” dos Backwaters.

Apreciar o pôr do sol de um boathouse é algo que vai estar para sempre na minha memória. 

Kerala é cor, é natureza, é sabor. Impossível não ficar com água na boca ao lembrar da delícia que é a culinária daquele lugar.

Kerala é sorriso, é a inocência das crianças que te abraçam e te convidam para participar de suas danças e brincadeiras. 

Kerala é emoção, são as pessoas que te recebem com um sorriso que encanta. Com um abraço que acolhe.

Jamais vou me esquecer o olhar de uma senhora indiana, com seus 60 e poucos anos, que não se comunicava em inglês, mas que com aquele sorriso acolhedor e aquele olhar profundo me convidou a conhecer sua casa e me mostrou orgulhosa as fotos dos seus filhos na estantes. Eles estavam com o traje de formatura. Ela se emocionou ao me apresentar aquele pouco da sua história, me abraçou e se despediu de mim com lágrimas nos olhos. 

Kerala é natureza.  Nada pode descrever melhor Kerala do que “God’s own country”. (O país do próprio Deus – em tradução livre). 

Kerala, I miss you! Thank you for bring me back to myself!

Parte desse texto foi retirado do rascunho do livro estou escrevendo em homenagem a Kerala, esse lugar que vai ter sempre um lugar especial em meu coração.

Espero em breve poder me dedicar a esse projeto e transformar tudo que vivi em Kerala na história que poderá também inspirar a sua próxima viagem ou quem sabe a sua vida.

Aproveite as melhores ofertas e reserve já o seu hotel!

1 COMMENT

  1. Wow, what a poetic and well-written article Gisele! (thank you google translate :)) I loved the pictures and the video, this really made me want to visit Kerala!

Deixe seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.