#DaSemana: Na Suécia, o Tinder é o novo Candy Crush… #viajarpelaeuropa

6
832
Tinder na Suécia

Uma análise feminista, pessoal e tendenciosa sobre estar solteira na Suécia. Se você é sensível a alguma dessas 3 palavras acima é melhor nem ler esse texto.

Eu me mudei para a Suécia por amor. E confesso que por amor permaneço vivendo nessa terra gelada, mas encantadora. Acontece que ninguém tinha me avisado que entrar para o “mundo dos solteiros” nesse país tão exótico seria uma aventura e um grande aprendizado.

Se aparência é algo importante na sua lista, a Suécia pode ser considerada um paraíso. Já dizia uma amiga: falar que os suecos são bonitos é pleonasmo. Mas a verdade é que estar solteira em terras vikings tem suas particularidades.

Tudo começou no verão do ano passado, quando uma amiga sueca sugeriu que já estava na hora de deixar a dor de cotovelo de lado e sair para conhecer gente nova. A história da minha ´solterice´ começou bem aí…

Leia também: O que fazer em Estocolmo no verão

Nos países onde já vivi, sair para conhecer gente nova sempre resulta em pelo menos bate-papo com desconhecidos no balcão de um bar ou com o pessoal da mesa ao lado. A cena é geralmente é a seguinte: lugares cheios de caras que se aproximam das mulheres, puxam um papo (nem sempre o mais interessante, mas pelo menos rola uma tentativa de socializar).

Na Suécia não é bem assim. Para começar a história, em terras suecas as mulheres é que tomam a iniciativa. O que, aliás, eu acho ótimo. Viver em um dos países mais igualitários do mundo, onde homens e mulheres têm os mesmos direitos e deveres, reflete também no convívio social. Por outro lado, tendo nascido e sido criada em um país machista, devo confessar que não adquiri essas habilidades, digamos assim, e minhas táticas andam meio capengas. (risos)

O conselho de um amigo sueco foi que eu deveria dizer “oi” e elogiar o cara pelo qual eu tivesse algum interesse. Mas eu não achei esse conselho tão feminista assim. Onde já se viu ter que encher o ego (já super inflamado, diga-se de passagem) dos machos de plantão? E aí entrei em um grande conflito: solteira, aberta para conhecer gente nova versus mulher independente, feminista e sem paciência para puxação de saco, entende? Quase ia me esquecendo de mencionar que sou ariana com ascendente em áries, se isso te explicar alguma coisa.

Bom, comecei a achar essa história de ser solteira na Suécia uma chatice. E que levante a mão quem quer ficar solteira aqui no meu lugar nesse frio. Os termômetros marcam -2ºC com sensação de -7ºC no momento em que escrevo esse texto e a previsão para amanha é de máxima -6ºC. Eu falei máxima…

Adiciona o Instagram @viajarpelaeuropa para ver como é o dia a dia em Estocolmo. 

 
 
 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Gisele Almeida *Travel Blogger (@viajarpelaeuropa) on

Também não estou falando que estou desesperada para encontrar “qualquer um” porque a minha lista de exigências fica cada dia mais longa. Acontece quando você chega nos 30, dona de si e sabendo o que quer da vida. Por isso vou permanecendo solteira (por enquanto) e muito feliz com a decisão, apesar do frio.

Eis que uma amiga sueca me dá um conselho: “Gi, você tem que baixar o Tinder”. Pasmem! Eu nem sou velha e Tinder não é da minha época, gente! (Rindo de nervoso). Eu nem sabia o que escrever ou que fotos colocar no meu perfil, muito menos como me comportar em um catálogo de solteiros onde a lei que governa é a lei da aparência.

Quando finalmente resolvi aderir a tal conselho, eu me senti aceitando termos e condições para entrar em uma sociedade secreta sem ter a menor ideia de quem eram os outros integrantes e do que poderia acontecer ali. Criei a conta e saí correndo. Literalmente! Haha

Minha amiga sueca pegou meu Tinder e começou a dar match em alguns perfis. Isso não podia dar certo! E, resumindo, não deu mesmo!

Pulando a parte de um date furado e de me sentir um alien nos bares ou baladas porque eu não tenho talento para tomar iniciativa, eu até que tive um pequeno romance de verão. Ele é um sueco bem naquele estilo viking, cabelos longos sempre com um coque despretensioso, além de inteligente, yogi e engraçado. A questão é que nos encontramos no momento errado das nossas vidas e agora somos apenas amigos. E até onde eu sei (para as solteiras por aí), ele continua no Tinder. #ficaadica

Mas Gi, porque você veio falar de Tinder, assim, do nada? Na verdade pensei nesse tema porque o Dia dos Namorados na Suécia está chegando, eu até gravei um vídeo, que em breve vai ao ar no canal (Inscreva-se!) contando como essa data é comemorada por aqui, mas achei interessante levantar esse outro lado. O dos solteiros.

Leia também: 3 dicas ousadas para você aproveitar o dia dos namorados na Europa.

Antes que você pergunte, já apaguei minha conta no Tinder porque continuo não acreditando que avaliar uma pessoa puramente pela aparência seja a melhor forma de se conectar com alguém, principalmente se você está em busca de algo mais sério. Também “ouvi” de um crush, no próprio Tinder, que é bem normal eles utilizarem o aplicativo só para passar tempo mesmo. E não estou fazendo nenhuma metáfora para dizer “encontros casuais”, mas sim de utilizar esse meio como um joguinho mesmo.

Em uma sociedade em que as pessoas ocupam todos os bancos vazios do ônibus para não falar com o “companheiro de viagem” ou que te acham louca se por acaso você puxar assunto na fila do supermercado, colecionar “matchs” no Tinder acaba sendo uma ótima maneira de ocupar as horas ociosas.

Aproveita, aperta o play e assista agora minhas dicas para você fazer amigos na Suécia. 

Quase um ano depois devo confessar que estar solteira me trouxe uma nova perspectiva sobre a vida na Suécia e já estou melhorando nessa história de ser a “dona da situação”. Essa tem sido a época mais social dos meus 6 anos vividos por aqui, período que mais tenho feito amizades com os locais e parece que estou finalmente aprendendo como quebrar o gelo e fazer parte da sociedade sueca.

E você, gostou desse estilo de post por aqui? Aproveita e me conta suas experiências no Tinder. 🙂

Aproveite as melhores ofertas e reserve já o seu hotel!

6 COMMENTS

  1. Estou solteira, moro no Brasil e sofro do mesmo problema! Eu tenho com o Tinder uma relação conflituosa: baixo, uso um mês, deleto de novo porque não consigo usar aquele trem direito… torcendo por você, Gi (por nós!)

    • Vamos que vamos, Lívia… Eu achei muito estranho mas foi só eu escrever
      esse post que recebi várias mensagens de esperança, dizendo que encontraram
      os namorados/maridos no Tinder. Enfim…
      Vai que um dia eu volto. haha
      Saudade <3

  2. Haha, adorei o post e o blog! Tinder é meio estranho mesmo, sempre baixo e deleto logo também! Mas ia adorar a Suécia pelo fato de ser tão linda e de ser tão diferente do brasil em relação das mulheres tomarem iniciativa, achei o máximo. To doido p ver o video do Tinder. 😛

    • Oi Ricardo, que bacana o comentário de um rapaz também.
      Quem sabe eu gravo um vídeo sobre o Tinder. <3
      Obrigada por me acompanhar.
      Abraços
      Gisele

Deixe seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.