Precisamos falar da ilusão de viver de blog. Urgente!

2
817
viver de blog

Todos os dias eu recebo ambiciosas notificações: “deixei meu emprego para viver de blog”!

Talvez por ser blogger e participar de vários grupos de blogueiros e Digital Influencers nas redes sociais eu esteja mais exposta a esse tipo de declaração. Quase todos os dias tem um blogueiro de viagem realizando o sonho de viver de blog. Mas será que isso é mesmo verdade?

Resolvi escrever sobre o tema (polêmico) porque como blogueira e primeiramente como jornalista, acho que temos responsabilidades com aquilo que divulgamos na Internet.

Mas Gisele, qual o problema de ver que existem pessoas realizando o sonho de viver de blog?

Eu acho incrível a oportunidade que os blogs apresentam aos profissionais de várias áreas, permitindo que as pessoas criem suas próprias marcas na Internet, mostrem seu trabalho, desenvolvam produtos, inovem e, sim, vivam desse trabalho. Isso quer dizer que, na prática, você deixa seu trabalho (fixo) para trabalhar com o blog.

Nesse caso, dizer que trabalha com o blog seria a afirmação mais honesta.

Acho que o problema em dizer “deixei o trabalho para viver de blog”, está na forma como essa afirmação é apresentada. Ela cria a ilusão de que em um passe de mágica a pessoa deixa o trabalho para viajar o mundo.

E de onde vem o dinheiro que patrocina esse sonho?

Não estou sugerindo que os blogueiros revelem seus segredos de negócio e digam de onde vem sua fonte de renda. Afinal, as empresas não contam suas estratégias de negócio, não é mesmo? Mas quero chamar a atenção para a ilusão criada nesse tipo de afirmação. Deixando no ar a impressão de que viver de blog não é trabalho.

Dizer que “deixei o meu trabalho para viver de blog” cria a impressão de que basta fazer um blog hoje que ele dará frutos, que o dinheiro para viver de blog vem do céu, sendo que, na realidade, blogueiros profissionais trabalham muito.

Trabalham antes mesmo de poder pensar em viver de blog, trabalham (e muito) durante as viagens, trabalham muito para manter o blog. As fotos de um estilo de vida nômade digital,  aproveitando as coisas boas e belas da vida, tratam-se apenas de uma parte desse trabalho: marketing nas redes sociais.

Na maioria das vezes, um blogueiro trabalha muito mais do que as pessoas que estão no escritório oito horas por dia. Afinal, você se torna o dono do seu próprio negócio e como blogueiro terá de produzir conteúdo, escrever e pesquisar muito, manter um site atualizado, aprender a lidar com patrocinadores, vender seu produto, divulgar seu conteúdo e fazer com que esse trabalho se torne lucrativo. Só para nomear algumas funções de um blogueiro profissional.

No meio disso tudo ainda terá contas a pagar. E se estiver na estrada, vivendo de forma nômade, terá que bancar estadia, alimentação, transporte e até mesmo ter um fundo de reserva para imprevistos. Sem contar que o próprio blog tem seus custos.

Leia também: como um blogueiro ganha dinheiro e como você pode ajudar.

Com tudo isso, não estou dizendo que não se deve acreditar no sonho de viver profissionalmente do seu blog. Existem muito sites com dicas e informações super úteis para quem quer se tornar um blogger profissional. Mas gostaria de chamar a atenção para a realidade desse trabalho. Viver de blog é um investimento e até chegar ao ponto de colher frutos do trabalho, o blogueiro terá que aprender muito, experimentar muita coisa, até ver o que será lucrativo para o seu tipo de blog.

É preciso planejamento, fundos de reserva e até mesmo um plano B, quando o investimento não apresentar o resultado esperado.

Recentemente saiu uma matéria de um casal de bloggers que “revelou” a realidade sobre a vida nômade. Chanel Cartell e Stevo Dirnberger, da África do Sul, abandonaram seus empregos em publicidade para viajar pelo mundo. Seis meses depois eles contam que agora estão limpando banheiros e fazendo todo o tipo de trabalho para conseguirem manter a vida na estrada. (Você por ler a matéria completa, em inglês, aqui). Não acho que tenha algo de errado em realizar serviços para bancar as viagens. Mas certamente devemos pensar se teremos a coragem de enfrentar esse tipo de desafio em países com culturas bem diferentes da nossa, entende?

Conheço de perto bloggers que largaram seus empregos e estão vivendo pelo mundo de forma nômade, pagando esse estilo de vida com o trabalho que realizam por meio dos blogs. Com o blog eles desenvolveram produtos, têm parcerias com marcas e trabalham duramente para manter essa vida na estrada.

Você pode acompanhar o Jackson Groves, do blog Journey Era. Além de dar dicas incríveis de viagens, ele conta a realidade da estrada. O custo de vida, a forma como ele vive, o desafio de passar muito tempo sem ver a família e os amigos, a realidade de às vezes trabalhar 14 horas ou mais por dia, fechado em um hostel em uma cidade pequena da Ásia para cumprir prazos e conseguir se manter nômade.

A Carla Boechat, do blog Fui, gostei, contei também divide algumas de suas experiências vivendo pela América do Sul. Ela decidiu viver na estrada e já trabalhou vendendo tours em uma agência de turismo no Atacama. Ela mostra a realidade do dia a dia e também fala dos aspectos positivos de viver dessa forma. Muito trabalho, perrengues, mas, como recompensa, a liberdade de viver onde ela quer.

Fazem seis meses que eu estou trabalhando full-time com o blog Viajar pela Europa. Não escolhi viver de forma nômade, prefiro a segurança de ter uma casa como base, mas resolvi investir em me tornar uma blogger profissional. Essa é a maior prova de que acredito que o sonho de viver do trabalho com o blog pode se tornar realidade. Apesar de parte da minha renda vir do blog ainda tenho um percurso longo pela frente e acredito muito nele.

Sobre o retorno financeiro, atualmente trabalho com programas de afiliados como Booking.com para reserva de hotéis e Getyourguide para reserva de bilhetes para atrações em vários países do mundo. Na prática, ganho um comissão cada vez que você reserva um desses serviços por meio do meu blog. 😉 Também desenvolvi o meu próprio serviço. Trabalho como guia de turismo em Estocolmo e tenho o blog como principal canal de divulgação.

Eu divido esse dia a dia de blogger e guia de turismo em Estocolmo no Instagram Stories @viajarpelaeuropa – siga lá para ver de perto essas aventuras!

Para finalizar, se você é novo nessa e pretende viver do trabalho com o blog, primeiramente deverá entender que um blog profissional se trata de um empreendimento.

Nesta caminhada será preciso aprender muito mais que apenas escrever conteúdo de qualidade. Terá que entender pelo menos o básico de SEO, HTML, programação, design, marketing, edição de fotos e vídeos. E tudo isso vai custar algo, como mencionei anteriormente. Meu principal conselho para quem está começando é planejamento. Estude o mercado, economize dinheiro e escreva muito. Existem vários sites que ensinam como viver de blog. Basta fazer uma pesquisa para encontrar o seu caminho.

Não desista do seu sonho, mas seja realista! Viver de blog requer muito trabalho, dedicação e investimento.

A Amanda Antunes, do blog Prefiro Viajar, gravou um vídeo resumindo o que faz um blogueiro de viagem. Aperta o play e veja algumas das mil e uma utilidades de um blogger profissional.

E você, tem alguma dica sobre como viver de blog?

Aproveite as melhores ofertas e reserve já o seu hotel!
468x60_reload-V2

Deixe Seu Comentário

2 COMMENTS

    • Luciana, fico super feliz que tenha gostado do post. Faz tempo que essa história de “larguei tudo para viver de blog” estava meio engasgada. =)
      E pode deixar que vai ter paradinha simmmm e eståa quase! haha
      Beijos

Deixe seu comentário