Category Archives: Itália

  • 0

Parmigiano reggiano, o único parmesão! Veja como é visitar uma fábrica do famoso queijo italiano!

Na minha viagem para a região da Emilia Romagna, na Itália, visitei uma uma fábrica de queijo Parmigiano Reggiano, o único parmesão! Uma experiência super enriquecedora que me fez conhecer o dia a dia dessas pessoas que trabalham com amor pela produção do famoso queijo italiano.

Parmigiano Reggiano, o único parmesão!

O Parmiggiano Reggiano é um famoso queijo italiano utilizado em diversos pratos da gastronomia mundo afora.

O primeiro Parmigiano Reggiano foi fabricado pela primeira vez no ano de 1200 nos mosteiros beneditinos na área entre o Rio do Pó e as montanhas Apeninas na Itália. Hoje, o famoso Parmigiano é um produto DOP (Denominacão de Origem Protegida), o que quer dizer que esse tipo de queijo pode ser produzido somente na região demarcada para sua confecção.

Vale lembrar que o selo Parmigiano Reggiano só pode ser utilizando num queijo produzido e processado no local de origem, ou seja, nas províncias de Parma, Reggio Emilia, Modena, Bologna e no oeste do Rio Reno e em Mantua.

Além disso o produto deve ser produzido de acordo com regras restritas impostas pela União Europeia. Essas regras foram criadas para proteger consumidores e produtores.

parmigiano reggiano, o único parmesão

Como é a produção de Parmigiano Reggiano?

O dia na fábrica de Parmigiano Reggiano começa cedo pois o leite utilizado na produção do produto deve ser fresco, sem conservantes ou tratamento de qualquer tipo.  Resumindo, sai diretamente da vaca para os caldeirões de preparação do queijo (haha).

Desde esse momento podemos observar que o trabalho ali efetuado é tão minucioso que até parece uma  uma dança cuidadosamente ensaiada.

parmigiano reggiano, o único parmesão

O leite chega em uma caminhão depois é transferido para os caldeirões de cobre e onde é adicionado um tipo de soro natural, seguido de um processo de cozedura. Passo esse que deve ser minuciosamente calculado já que o leite não pode exceder a uma certa temperatura.

Outra curiosidade é que, até a alimentação das vacas que produzem leite para a produção do queijo parmesão, segue um regulamento. Essas vacas se alimentam de ervas crescidas apenas no local de origem e certas rações são estritamentes proibidas. Medidas que garantem a qualidade do leite utilizado na produção do Parmigiano Reggiano.

A visita à fabrica segue também um pequeno ritual. Logo ao chegar recebemos uma espécie de bata e um protetor para os sapatos. Depois acompanhamos o início do processo ao longe.

parmigiano reggiano, o único parmesão

O ambiente que encontramos é bem familiar. As pessoas trabalham em sintonia so passo que seguem a risca todos os detalhes do processo de produção do queijo, elas riem, brincam e as vezes, até cantam.

Isso me fez admirar ainda mais esse passeio, já que foi possível perceber que eles são felizes em mostrar o seu trabalho, compartilhar sua experiência e fazem os visitantes se sentirem super a vontade, sabe? Como se fossem artistas no palco dividindo a alegria de mostrar todo seu tanlento.

Durante a visita aprendemos sobre todo o processo que envolve a produção do Parmigiano Reggiano e no final podemos provar alguns dos deliciosos queijos que foram produzidos ali.

Uma experiência que eu super recomendo!

parmigiano reggiano, o único parmesão

Agora você já sabe que o Parmigiano Reggiano é o único e verdade parmesão nunca mais vai comprar “gato por lebre”, não é mesmo?

Minha visita à fábrica de Parmigiano Reggiano foi parte do cronomogama de passeios do Blogville. A opinião é minha. 😉

Aproveite as ofertas da TAP e marque já sua próxima viagem pela Europa! Promotion 468x60
Aproveite as melhores ofertas e reserve já o seu hotel! 468x60_reload-V2

  • 0

O que é blogville e como participar

Tags : 

Já pensou em ser convidado para visitar uma das regiões mais interessantes da Itália e viver uma semana como se fosse um morador local? Então você precisa saber o que é o Blogville e como participar  dessa verdadeira imersão na cultura italiana.

Coma, sinta e viva como um local na Itália!

O que é Blogville e como participar?

O Blogville é um projeto do turismo da Emiglia Romagna, na Itália, que todos os anos seleciona bloggers de vários cantos do mundo a fim de proporcionar a experiência de como é viver na região por uma semana.

A proposta dessa blog trip é que os bloggers possam comer, beber, conhecer, e, de certa forma, viver como um italiano morador da região. Descobrir cada canto da Emilia Romagna, capturar a essência do modo de vida dos locais, experimentar os sabores mais autênticos da gastronomia regional e compartilhar a experiência com o mundo. Essa é a essência do Blogville!

Para que a experiência possa ser sentida dessa forma é necessário ter tempo para explorar a cidade por conta própria, não é mesmo? Por isso, o Blogville não é uma blogtrip “típica”, em que os blogueiro têm uma agenda super ocupada, tendo que visitar várias atracões uma atrás da outra. O projeto oferece a oportunidade única de adequar o roteiro da viagem ao seu perfil. Dessa forma, somos estimulados a conhecer lugares e fazer passeios que combinam com o nosso perfil e que sejam interessantes para o público do nosso blog. Um luxo!

Leia também: O que aprendi no Blogville

Para participar do Blogville é preciso estar atento aos prazos de inscrição. Devido ao grande número interessados, a resposta da organização pode demorar. O bacana é que a equipe sempre tem o carinho de te dar um feedback, seja ele positivo ou não.

bologna-ruas-de-bologna-gisele-almeida

Se você tem interesse de conhecer a Itália dessa forma tão especial, super recomendo participar do Blogville. Seja persistente e não desista caso não seja selecionado em uma primeira oportunidade! Esta foi a segunda vez que inscrevi o Viajar pela Europa e a resposta positiva ao meu pedido não poderia ter sido enviada em uma data mais especial. Recebi o e-mail com a confirmação da minha participação no Blogville no dia 15 de abril, um dia antes do meu aniversário. Quer presente melhor que esse?

Como funciona o blogville na prática

Durante o Blogville dividi o apartamento com dois outros bloggers. A Laura Longwell, autora do blog Travel Addicts, e o Daniel Cuerda, que é um arquiteto espanhol criador de um dos perfis de Instagram mais criativos que você possa imaginar.

Cada blogueiro fica uma semana explorando a região da Emilia Romagna e o  projeto dura algumas semanas entre os meses de junho e julho. O apartamento do Blogville é super bem localizado e tem vista para a Cathedral de Bologna. O local é bem conveniente, repleto de restaurantes, bares, lojas, atracões históricas e aqueles mercadinhos tipicamente italianos. Uma região perfeita para ser explorada a pé.

Eu tive a sorte de ter companhia em várias das atividades escolhidas por mim para a viagem a Bologna, isso porque a Laura tinha praticamente os mesmos interesses. Foi ótimo ter com quem dividir as histórias da viagem e conhecer lugares para lá de lindos!

Quem também esteve sempre presente durante nossa estadia em Bologna foi a inesquecível Sylvia Giordano, nosso braço direito no Blogville. Sempre carinhosa e disposta a esclarecer nossas dúvidas, ela nos deu várias dicas sobre a cidade.

Inclusive a Sylvia foi um anjo da guarda quando tivemos uma certa “dificuldade” em encontrar o local certo para pegar o ônibus para o nosso passeio a Modena. Já contei como foi nosso perrengue até chegar ao destino “Visit Ferrari and Pavarotti Land“. Leia o post agora mesmo se você é dessas pessoas que gosta de rir dos micos que os outros pagam nas viagens. (risos)

 

Além de passeios incríveis e de toda comida deliciosa que experimentamos durante essa semana na região da Emília Romagna, tivemos um workshop de fotografia ministrado pela querida Lola Akinmade Åkerström, fotógrafa e escritora de viagens nascida na Nigéria e que também vive em Estocolmo. A Lola Akinmade é  especialista em Sistemas de Informação Geográfica (GIS) e sua afinidade com as geociências faz com que ela desenvolva incríveis projetos de viagens. O trabalho dela já foi publicado no National Geographic Traveler, BBC, CNN, The Guardian, Travel + Leisure, Slate, Travel Channel, Lonely Planet. Foi uma honra participar de um workshop com ela!

 

Além de todo aprendizado sobre a arte da fotografia de viagens, durante o workshop também tive a oportunidade de conhecer a simpática Kim Leuenberger , fotógrafa suíça que tem um projeto incrível chamado Traveling cars, uma das coisas mais fofas que você vai ver no seguimento de viagem no Instagram.

 

Obrigada Sylvia e Blogville por uma experiência tão incrível na Emilia Romagna!

Quem também tem dicas imperdível sobre o Blogville é a Luciana Rodrigues, do blog Roma pra você!

Agora conheça os meus companheiros de Blogville:

Laura Longwell: www.traveladdicts.net/

Daniel Cuerda: http://danielrueda.net/

Lola Akmande: www.lolaakinmade.com/

Kim Leuenberger: http://kimou.co/

 


  • 12

O que fazer em Bologna – Bate e volta a Modena

Minha viagem a Bologna foi marcada por surpresas em vários sentidos. Eu viajei sozinha, deixando em casa a minha filha, que estava com 1 ano e 10 meses. Só quem tem filho para entender o quanto isso pode ser desafiador… Apesar do coração apertado, essa foi uma das experiências mais enriquecedoras deste ano. Voltei revigorada!

bologna-duomo-gisele-almeida

As aventuras na Itália começaram logo no nosso primeiro passeio, no tour ”Descubra Ferrari e Pavarotti Land”. Você está apenas iniciando a leitura deste post, mas já adianto que este é um perfeito bate-volta à partir de Bologna. Vale super à pena!

Bate e volta a partir de Bologna

Nosso dia começou bem maluco, com aquelas confusões hilárias que geralmente só acontecem na Itália, sabe? Peripécias dignas de enredos dos filmes do Woody Allen. Veja só! Tínhamos o endereço e o número do ônibus que deveríamos pegar, Google Maps no telefone e boca, né? Porque quem tem boca vai a Roma (risos). Mas, por incrível que pareça, na Itália não é bem assim.  Acreditem!

Nós rodamos cerca de uma hora, passando mil vezes em frente ao lugar onde deveríamos ir, e ninguém sabia explicar direito. Como perrengue pouco é bobagem, nesse meio tempo começou a chover. A cada momento alguém nos dava um nova informação e, no fim das contas, perdemos o ônibus. Por isso, já anota aí a primeira dica: o ônibus para o passeio Descubra Ferrari e Pavarotti Land sai do terminal rodoviário de Bologna

Bom, perder o dia inteiro de passeio por conta dessa confusão não estava na nossa agenda. Então arrumamos logo um plano B. Fomos para a estacão de trem e nos encaminhamos para Modena, onde daríamos início ao tour. A Sylvia, nossa mentora do Blogville, foi nos encontrar na estação para garantir que estávamos entrando no trem certo. hahah

Como funciona o Discovery Ferrari e Pavarotti Land?

Descubra Ferrari e Pavarotti Land é um bilhete único, que inclui transporte e entrada para várias atracões entre na cidade de Modena e Maranello, que ficam a poucos quilômetros de Bologna. Com esse bilhete você escolhe os locais de interesse e faz o seu próprio roteiro, já que eles oferecem rotas diferentes em vários horários.

A minha companheira de viagem foi a Laura, do blog Traveladdicts.com, que também participava do Blogville. No dia anterior, tínhamos conversado sobre nosso roteiro. Dentre as atrações que queríamos visitar, a “Casa do Pavarotti” definitivamente não estava inclusa.

Leia também: Meu maior aprendizado em Bologna

bologna-italia-pavarottis-house-piano

Mas, por conta da nossa “mini-aventura” antes de chegar em Modena, perdemos o início do tour e então resolvemos visitar – não superanimadas, é claro – a Casa Luciano Pavarotti. Mas, que grata surpresa tivemos! Foi uma das atrações mais bacanas que tive a oportunidade de visitar nessa viagem.

Aproveite e aperte o play e continue lendo esse texto no clima da casa. 😉

Mesmo se, assim como eu, você não curtir Ópera, em algum momento da vida já deve ter ouvido alguns dos sucessos desse tenor. Nem que seja nas novelas da Globo. (risos)

A casa do Pavarotti transmite uma energia contagiante. Podemos ouvir a música e conhecer sua história e carreira. Em um primeiro momento soa bem estranho visitar a casa de uma pessoa que já morreu só porque ela era famosa. Mas a energia desse museu é bem viva, como se a música e a personalidade do tenor conservassem ali um eterno clima alegre e cativante.

pavarottis-house-modena-gisele-almeida

Devemos ter essa sensação pelo fato de que Pavaroti, além de ter uma voz única, era uma pessoa divertida e caridosa. No meio da sala principal da casa tem um piano, onde ele dava aulas de música gratuitas. Para Pavarotti, oferecer aos adolescentes a oportunidade de aprender música era uma forma de agradecer pelo dom que ele tinha.

Vale dizer que a visita é bem rápida, são cerca de 30 a 45 minutos. Ao final dela, um ônibus espera os visitantes para a continuidade do tour.

Logo em seguida, fizemos uma pausa para o almoço. Degustamos um delicioso risotto de lambrusco, prato feito com esse vinho frisante típico da região, apreciamos um bom vinho e batemos muito papo. O restaurante escolhido foi a Tattoria Via Ferrari. Bem pequena, mas super aconchegante, a casa tem um atendimento simpático e comida super saborosa! Experimentei o delicioso risoto de lambrusco e garanto que o prato estava mais apetitoso do que fotogênico. (Risos)

No início da tarde fizemos uma visita rápida ao Museu da Ferrari. Além da exposição de vários modelos da marca, o local conta a história do excêntrico Enzo Ferrari, o mecânico autodidata que criou um dos modelos de carro mais desejados do mundo.

bologna-italia-ferrari-museum-gisele-almeida-1

A visita ao Museu da Ferrari também é bem rápida. Enquanto passávamos o tempo, aproveitamos para fazer umas poses com a “estrela” do lugar.

bologna-italia-ferrari-museum-gisele-almeida

Seguimos para visitar a fábrica do autêntico vinagre balsâmico de Modena. Experimentamos o produto e passamos uma hora super agradável conhecendo de perto a produção e a história da família Giuseppe Giusti. Aliás, se você pretende trazer um super presente da Itália, considere o vinagre balsâmico, que vai muito além dessas embalagens super charmosas.

Um passeio assim não poderia terminar sem darmos uma passadinha numa produção de Lambrusco, um vinho frisante produzido na região. Conhecemos Gavioli Antica Cantina e Museo, onde tivemos uma visita guiada e conferimos tudo sobre o processo produtivo do vinho.

gavioli-lambrusco-modena-gisele-almeida

Obviamente o tour termina com uma agradável degustação de Lambrusco. Salluti!

img_1045

Super recomendo esse bate e volta de Bologna até Modena. O tour Discovery Ferrari & Pavarotti Land é uma escolha porque otimiza o tempo e você visita várias atrações em um só dia.

O passaporte para o tour sai por €48 e inclui transporte, o acesso aos museus e visitas guiadas.

Site oficial: Discovery Ferrari & Pavarotti Land

O tour Discovery Ferrari & Pavarotti Land fez parte da nossa programação do Blogville e foi um convite do Turismo Emilga Romagna. Lembrando que a opinião é minha!


  • 0

La Settimana de Baratto – Itália “de graça”?

Já pensou em viajar para a Itália e não pagar nada pela hospedagem? Sonho, né? Sonho vírgula, porque isso é possível em um curto período do ano! Desde 2009, é promovida na Itália a Settimana de Baratto, quando muitos dos empreendimentos hoteleiros do país cedem a hospedagem em troca de serviços oferecidos por seus hóspedes. Legal, né? Este ano, La Settimana de Baratto acontece entre 14 e 20 de novembro.

img_6744

Acesse o site da iniciativa e se cadastre. Basta colocar o que você está apto ou pode oferecer. Vale reparo de danos, auxílio ao marketing ou comunicação, lavar, passar e tantas outras formas que a sua imaginação permitir, mas, claro, que agrade e seja útil ao hotel. Você também pode entrar em contato com o estabelecimento onde deseja se hospedar e tentar a negociação. Se o seu serviço estiver na “lista de desejos” do hotel, pimba! Compre as passagens, regularize o passaporte e arrume as malas. A Itália te espera!

Já estou aqui preenchendo minhas habilidades, e você?

Saiba mais sobre o projeto em: Fugas.público.pt

Site oficial: Settimana del Barato

 


  • 0

Fendi na Fontana di Trevi e tudo que você precisa saber antes de viajar para Roma

Tags : 

Se você vai viajar para Roma com certeza já está imaginando como conseguir uma bela foto na Fontana di Trevi, quer saber como evitar filas no coliseu ou mesmo como garantir uma boa hospedagem, não é mesmo ?

A famosa grife italiana Fendi conquistou todos os holofotes ao apostar em um desfile de tirar o fôlego na Fontana di Trevi, em Roma. A marca comemorou o aniversário de 90 anos apresentando a coleção “Legends and Fairy Tales” – inspirada em contos de fadas – literalmente desfilando sobre as águas da fonte.

A modelo Kendall Jenner abriu o desfile e foi a primeira a cruzar a estrutura transparente montada sobre a água. Um espetáculo que chamou a atenção até mesmo de quem não é muito ligado à moda.

01_FENDI_HAUTE-FOURRURE_AW_1617-413x700

Vale lembrar que, em 2013,  a marca criou o fundo Fendi for Fountains, para apoiar a restauração da Fontana di Trevi.

Eu assisti o desfile várias vezes e ainda não me cansei. Fiquei apaixonada pela super produção e pelas peças usadas pelas modelos. Fiquei tão envolvida com o show que me bateu aquela saudade de Roma e me lembrei de alguns perrengues que passei por lá. Vim logo contar aqui para que vocês não comentam os mesmos erros. haha

Viajar para Roma – O que você precisa saber agora

Foto na Fontana di Trevi

Para evitar o tumulto e os figurantes nas suas fotos (rs), programe-se para chegar bem cedo à Fontana. O conselho foi dos seguidores do Instagram @viajarpelaeuropa. Eu não tive essa brilhante ideia na época da minha viagem para Roma. Dá para perceber, né?

Viajar para Roma

Fique atento também às pessoas que oferecem para tirar fotos suas. Acredite, no final eles podem acabar cobrando pela “gentileza”.

Cuidado com batedores de carteira

Roma é uma das cidades que mais recebem turistas no mundo. O fluxo enorme de pessoas, muitas vezes distraídas com os monumentos,  torna o ambiente favorável para que furtos aconteçam. É preciso estar atento à bolsa, carteiras, óculos e relógios… Não é para entrar em pânico, mas é preciso ter cuidado.

Já contei aqui no blog  estranha experiência de passado por um  furto em Roma.

Não tire foto com os gladiadores

Vários homens fantasiados ficam espalhados pela cidade, especialmente próximo ao Coliseu, oferecendo aos turistas desavisados a “oportunidade” de tirar uma foto com um gladiador. Não caia nessa! Esse click pode sair caro. Após tirar a foto eles vão cobrar por isso e não é nada barato!

Viajar para Roma

Saiba onde se hospedar

Roma é uma cidade grande. Se você quiser aproveitar ao máximo sua visita, sem perder tempo com deslocamentos, vale a pena escolher a região certa para se hospedar. Eu me hospedei em Trastevere e adorei. O bairro é super charmoso e acessível para o centro histórico da cidade.

Leia também: Onde se hospedar em Roma.

Viajar para Roma

Sentou, pagou!

Nunca entendi bem essa história de que na Itália você “paga para sentar”. Mas é isso mesmo! Ao entrar em qualquer estabelecimento, o valor cobrado para consumo no balcão (em pé mesmo) é um, e se você sentar o valor é outro. O acréscimo pode ser absurdo!

Viajar para Roma

Alguns restaurantes aproveitam para fazer um “menu do dia” com essa taxa de serviço inclusa na oferta, mas é melhor conferir os preços e até mesmo perguntar para não ser surpreendido quando a conta chegar. #ficaadica

 Não perca tempo nas filas do Coliseu

Como não podia ser diferente, todas as atrações da cidade têm filas enormes.  Para otimizar seu tempo compre os tickets para visitar as atrações de Roma com a Ticketbar, e pule a fila com estilo.

Viajar para Roma

Procurando hospedagem em Roma? Recomendamos Booking.com

E você, tem alguma dica de Roma?

Veja o desfile da Fendi na Fontana di Trevi.

Leia sobre Pagar para sentar, no blog Roma para você.


  • 0

Blogville Itália- O que é?

Ciao viajantes!

Estou de volta a Itália, dessa vez por um motivo muito especial. Minha participação no Blogville, um projeto incrível, que todos os anos traz travel bloggers de todo o mundo a região da Emilia Romagna para experimentar o modo vida local.

Piazz Maggiore - Bologna - Italia

A proposta desse projeto é que os bloggers possam comer, beber, conhecer, e, de certa forma viver como um italiano. Descobrir cada canto da Emilia Romagna, capturar a essência do modo de vida dos locais, experimentar os sabores mais autênticos da gastronomia regional e compartilhar essa experiência com o mundo. Quer ideia mais bacana que essa?

Nem preciso comentar o quanto estou feliz em representar o Brasil por aqui, né? Nessa edição apenas dois blogs brasileiros foram selecionados, o Viajar pela Europa e o blog Viajo com filhos. Uma honra mesmo!

Estou hospedada em Bologna, e, a partir daqui vou conhecer outras cidades da região. Ontem estive em Modena, fiz um tour super agradável chamado: Discover Ferrari and Pavarotti Land.

Pavarotti's house - Modena - Italia

Visitei a casa onde o Pavarotti vivia, o Museu da Ferrari e, como não podia ser diferente, fui conhecer de perto a produção de Lambrusco, um tipo de vinho típico da região, também fiz uma degustação do tradicional azeite balsâmico de Modena.

Ferrari Museum - Modena - Italia

Vinagre Balsamico - Modena - Italia

Estou mostrando todos os detalhes dessa viagem nas redes sociais: Instagram – @viajarpelaeuropa, Facebook – VPEuropa e Snapchat – gi-vpeuropa. Segue lá e acompanhe todos os momentos incríveis dessa viagem!

Lambrusco - Modena - Italia

Daqui a pouco estou a caminho de Parma! Adicional logo para ver de perto todas as minhas aventuras.

Un bacio!

Grazie  Emilia Romagna Region Tourist Board  for the opportunity!

Leia também: Por que todo travel blogger deveria participar do Blogville. Dica imperdível da Luciana, do blog Roma pra você.


  • 0

Promoção imperdível de passagens para a Europa – À partir de R$1700,00 ida e volta!

Esse fim de semana várias companhias aéreas estão com promoções imperdíveis de passagens aéreas ida e volta para a Europa.

Confere só o que encontramos até o momento!

São Paulo > Lisboa à partir de R$1.700,00 – www.voeazul.com.br





Azul

São Paulo > Milão à partir de R$1.909 com a Lufthansa – www.lufthansa.com.br

Lufthansa

 

 

Aproveitem as promoções de passagens aéreas para a Europa e boa viagem!

 

 


  • 3

Passeio de Ferrari em Milão

Tags : 

Milão é uma cidade que gera muita polêmica entre os viajantes. Uns dizem que a cidade não tem muito o que visitar e que além da Catedral Duomo não há mais nada para conhecer e blá… blá… Geralmente esses comentários me deixam bastante intrigada e surtem o efeito contrário. Fico super curiosa para conhecer o lugar. Isso fez com que Milão entrasse para a lista das cidades para a qual eu viajei não só uma, mas duas vezes esse ano.

viajarpelaeuropa_milão_duomo

Na primeira vez, em fevereiro de 2015, Milão acabou por deixar um gostinho de quero mais e por isso o regresso não tardou. Seis meses depois lá estava eu novamente na cidade! E o retorno foi em grande, pois eu tinha uma Ferrari a minha espera.

viajarpelaeuropa_milão_andardeferrari1

Como assim, uma Ferrari? Pois é! Se você assim como eu, é daquele tipo de viajante que está sempre a procura de experiências incríveis numa cidade, aqui vai um dica imperdível: façam um passeio de Ferrari por Milão ou mesmo um Test Drive pelos arredores da cidade na companhia da Vanessa e do Ricardo da Scuderia Milano.

A empresa foi criada pelo Ricardo e pela Vanessa, dois brasileiros que realizaram o sonho de viver no país que eles idealizam como perfeito para romantismo. Eles amam a Itália e eles amam carros esportivos. E por isso vão te levar para conhecer a capital italiana de uma forma super exclusiva e emocionante! Pilotando Ferraris, Lamborghinis, Mazzeratis… É apaixonante!

viajarpelaeuropa_milão_andardeferrari2

A experiência de sentar pela primeira vez num banco de couro, de costura impecável, acompanhado de um design exclusivo é quase indescritível. Quando você experimentar, podemos conversar a respeito. Mas enquanto isso não acontece… vou descrever as minhas impressões e motivá-los a viajar para Milão atrás de uma experiência incrível como essa.

Duvido que depois desse post você vai ter dúvidas em incluir Milão no seu próximo roteiro de viagem!

DCIM102GOPRO

Sempre admirei, mas nunca fui de babar por carros esportivos. Mas quando soube que em Milão iria ter uma Ferrari a minha espera, ui! Não me contive. Contei para todo mundo que ia andar de Ferrari e mal podia esperar para sentir a adrenalina de estar num carrão daqueles.

Engana-se quem pensa que estar numa Ferrari é apenas status, ronco patenteado e velocidade. A Scuderia Milano oferece experiências além do óbvio. Eles explicam o funcionamento do carro, contam experiências engraçadas e nos contagiam com as histórias que os movem. Tudo isso enquanto percorre as ruas de Milão ou então a super estrada onde é possível pisar no acelerador e perder-se a vista dos outros carros.

DCIM102GOPRO

Dessa experiência é difícil definir uma ordem do que eu mais gostei: se foi o ronco inconfundível, a vontade de “quero mais velocidade”, a combinação perfeita do meu batom com o vermelho da Ferrari… das histórias que aquele carro leva por Milão. Bem… Ferrari você está no meu <3 e eternamente nas minhas lembranças de viajante!

A sensação de andar de Ferrari

viajarpelaeuropa_milão_andardeferrari3

A mais pura sensação de que “nem o céu é o limite”. Numa Ferrari você sente a verdadeira adrenalina sobre quatro rodas que o faz gritar “Acelera! Mostra para o mundo a que popósito veio esse carro”!

Tem gente que chora, tem gente que ergue os braços para o alto como se fosse um passeio de montanha russa, tem gente que grita “wow” e “Meu Deus” quando sente um frio na barriga e visualiza o velocímetro subindo sem parar. São muitas sensações que só quem anda numa Ferrari consegue explicar.

3 dicas infalíveis para um test drive inesquecível

viajarpelaeuropa_milão_andardeferrari6

– Leve a carteira de motorista! Não faça como eu que esqueci a minha em Portugal. (rs) Andar de Ferrari com um motorista também é chique e emocionante! Afinal, é bem provável que, se não fosse o Ricardo dirigindo eu não teria visto o velocímetro chegar aos 250km/h.

– Não seja afobado! A pista do test drive às vezes é bem movimentada, então tire o pé do acelador, deixe o carro da frente andar e quando tiver uma distância considerável: Acelere!

– Não tenha medo de acelerar! Várias foram as vezes que “tremia de medo” da Ferrari não diminuir a velocidade a tempo. Mas segundo o Ricardo “O carro tem potencia, mas também tem freio”. Claro, neh! É uma Ferrari.

– Controle a timidez! Aos olhos de uma Ferrari ninguém fica despercebido… Então se você é uma pessoa tímida, concentre-se no ronco patenteado e esqueça da timidez.

Vamos passear ou fazer um test drive de Ferrari? Escreva pra gente info@viajarpelaeuropa.eu e nós organizamos tudinho para você!

DCIM102GOPRO

O passeio de Ferrari foi um convite da Vanessa e do Ricardo – Fundadores da Scuderia Milano, mas as experiências relatadas são todinhas pessoais.


  • 0

Visitar atrações na Europa sem fila!

As atrações mais cool da Europa são super concorridas e por isso quase sempre têm filas gigantes.

Torre Eiffel, sempre linda! :D

Torre Eiffel, sempre linda! 😀

Eu, por exemplo, perdi a oportunidade de visitar o Museu da Anne Frank, em Amsterdam. A fila estava enorme e eu tive que optar por outros passeios.

Fila - Museu Anne Frank, em Amsterdam.

Fila – Museu Anne Frank, em Amsterdam.

Para você  otimizar seu tempo e aproveitar ao máximo todas atrações, fizemos uma parceria com a empresa holandesa Ticket Bar.

A Ticket Bar é uma empresa de venda online de ingressos para várias atrações da Europa. A página está em português e é super simples e intuitiva. Escolha a atração desejada, reserve o ingresso, receba o bilhete no seu email e evite filas!

Nada como ganhar tempo para visitar mais atrações pela Europa, não acham?

Compre seu ingresso antecipado e evite filas!

Em Amsterdam

Museu Anne Frank + Cruzeiro pelos canais

Heineken Experience

Keukenhof Amsterdam – O Jardim das Tulipas

Em Berlim

Berlim Passe – Todas as atrações da cidade em um único bilhete!

Torre da TV

Em Budapeste

Cartão Budapeste – Transporte gratuito e entrada para vários museus

Tour ao Parlamento

Em Londres

London Eye – sem fila

London Pass – Transporte + entrada para 10 atrações da cidade

Em Paris

Museu do Louvre – sem fila

Cruzeiro no Rio Sena

Disneyland Paris

Torre Eiffel + Cruzeiro + City tour

Em Roma

Coliseu – Sem fila

Basílica de São Pedro

Museu do Vaticano + Capela Sistina 

Gostou da dica? Comenta vai! 😉

 

 


  • 0

Roma

Faz tempo que eu estava devendo um texto mais explicativo sobre Roma aqui no Viajar pela Europa. A cidade é tão encantadora, envolvente e deliciosamente incrível que não sabia por onde começar.

Não seria justo apenas dizer visite o Coliseu, ou coma pizza em Trastevere ou passe a tarde na Piazza Navona… Bleerr! Seria clichê demais e muito injusto com um lugar que tem muito mais a oferecer, sabe?

Coliseu, Roma.

Coliseu, Roma.

Mas um dia eu tinha que escrever e foi então que lendo o livro “Comer, rezar, amar” da Elizabeth Gilbert me veio enfim a inspiração para contar aqui minha experiência em Roma e deixar por aqui as melhores dicas sobre a cidade.

Passei uma semana na cidade no verão europeu de 2013 e primeiramente quero deixar especificado a parte prática da preparação da viagem. Para vocês programarem sua visita vou começar com dicas sobre transporte, hospedagem e gastronomia.

Transporte em Roma

Fui de Estocolmo para Roma com a companhia aérea Norwegian e chegamos no aeroporto de Fiumicino. Para quem ainda está no Brasil pode seguir nossas dicas sobre Como preparar a primeira viagem para a Europa. Do aeroporto até o centro de Roma, estação de trem e metro Termini, utilizamos o ônibus Terravision. Na época pagamos 4 pelo bilhete e compramos na hora mesmo. Você pode conferir os preços na página do Terravision clicando aqui.

Pela cidade o transporte que mais utilizamos foi o tram, mas apenas para ir do hotel até a Piazza Venezia e de resto fizemos todos os pontos turísticos caminhando mesmo. Eu aconselho essa aventura para quem ficar vários dias na cidade porque aas caminhadas eram bem longas e cansativas sem contar o calor. Ir andando do Coliseu ao Vaticano é bem desgastante se tiver pressa e os dias contados para visitar tudo.

De Roma partimos para Creta com a Ryanair do aeroporto Ciampino. Para o aeroporto de Ciampino tem transporte público, deve pegar o metro da linha A até a estação de Anagnina (final da linha) e de lá pegar o ônibus da companhia Atral. Confira informações sobre essa opção clicando aqui.

Para mais informações sobre metro, ônibus e tram, visite o site oficial do transportes públicos de Roma.

Piazza Venezia, Roma.

Piazza Venezia, Roma.

Onde se hospedar em Roma

Quem já estiver procurando hospedagem em Roma já deve ter percebido como é difícil encontrar lugares bem localizados (no centro) a um bom preço ou pelo menos com boa relação preço/qualidade. Na época da minha viagem pesquisei sobre as regiões que fossem relativamente centrais e que me permitisse a facilidade de andar pelos pontos turísticos sem necessidade de transporte público.

Eu pesquisei hospedagem basicamente em 3 regiões

Termini: é onde fica a estação central da cidade, de lá partem todas as linhas de metro e também os trens para outras cidades da Itália. A vantagem de se hospedar em Termini é que tem bastante oferta de hotéis/hostels, por isso a probabilidade de encontrar lugares acessíveis é maior. Essa região também é ideal para quem pretende fazer uma viagem de trem, nós fomos de Roma para Nápoles através da Trenitália e partimos da estação de Termini. A desvantagem é que essa não é uma parte tão bonita da cidade e eu não saberia dizer se é muito segura a noite.

Centro Histórico: se hospedar no centro histórico da cidade, além de ter a possibilidade de ir andando para (quase) todos os pontos turísticos tem também o seu charme né? Imagina ter com vizinhos os artistas da Piazza Navona, os encantos da Fontana di Trevi ou ainda o glamour da Via Condotti e Via del Corso, as ruas comerciais onde se encontram todas as marcas mais imponentes da moda! Ofertas de hospedagem nessa área não faltam! Mas claro que tudo tem seu preço, nessa região ficam localizados os hotéis mais carinhos digamos assim. rs E vale lembrar também que ficar na parte mais turística de uma das cidades mais visitadas do mundo é pedir para não descansar muito né? Vai ter muito movimento (e barulho) sempre.

Loja Prada na Via Condotti, Roma.

Loja Prada na Via Condotti, Roma.

Trastevere: Esse bairro fica relativamente perto do centro histórico, algo como 15 minutos com o tram 8, que tem a parada final em frente a Piazza Venezia, uma praçan bem próxima ao Coliseu. Trastevere além de ser um bairro residêncial apresenta várias opções de mercados e  serviços como cabeleireiros, lojas além de ter uma zona boêmia. A localização digamos que seria o meio termo, não totalmente no centro, mas vizinho dele.

Depois de muito, mas digo muito tempo de pesquisa, optamos por nos hospedar em Trastevere no Worldhotel Ripa. O Hotel era bem organizado, próximo a uma estação do tram e os quartos bem espaçosos, ótimo para quem viajar com a família, o café da manhã era super bem servido e os quartos  simples mas confortáveis.

Recepção Ripa Hotel, Roma.

Recepção Ripa Hotel, Roma.

Mas longe de ter sido o hotel o que me fez gostar da hospedagem o que me encantou foi mesmo a região. Trastevere é um lugar tranquilo, do tipo que dá para caminhar pelas ruas longe da confusão do centro histórico e se sentir um morador de Roma. Ponto positivos para os bares e restaurantes, que não são apenas para turistas, os estabelecimentos de lá são muito frequentados pelos romanos. Sem contar que tem opção para todos os gostos e bolsos 😉

A região é ótima para jantar ou sair a noite e ainda poder voltar andando para “casa”.

Roma definitivamente entrou para minha lista top 5 cidades que eu adoro na Europa e eu pretendo voltar lá assim que possível e pretendo me hospedar novamente em Trastevere. Mas da próxima vez vou optar por alugar acomodação através do site Airbnb. Acho que vai ser uma experiência ainda mais incrível estar na cidade e seguir as dicas de gente da terra e conhecer mais de perto a cultura dos romanos. Acredito que essa é a melhor forma de apreciar uma cidade, fugindo do óbvio sabe?

Gastronomia

Impossível falar em alguma cidade da Itália e não pensar logo na delícia que é a culinária italiana. No livro Comer, Rezar, Amar a autora fala que tirou 4 meses para viver em Roma e se deixar perder no prazer do pecado da gula. Pasta, pizza, pizza, pasta e outras delícias! Yumiii! É mesmo um lugar para esquecer a dieta e se deixar perder nos deliciosos pratos dos restaurantes da cidade. Sem falar do vinho, sobremesas e claro do incrível gelatto! :D.
Não posso reclamar de nenhum dos pratos que experimentei. Na foto abaixo tem um espaguete aos frutos do mar, incrivelmente delicioso que provei em um dos restaurantes de Trastevere. Na época não me lembrei de anotar o nome do lugar, sorry!

Spaghetti ai frutti di mare.

Spaghetti ai frutti di mare.

E gordices a parte, devo confessar que grande parte da vontade de voltar a Roma tem sabor de pasta e pizza hehe. Por mais que se tenha restaurantes italianos espalhados por qualquer cidade do mundo, nada se compara a experimentar os pratos feitos por gente de casa com os ingredientes locais. É a mesma sensação de comer feijoada fora do Brasil, o gosto é parecido, engana a vontade mas não é tão boa quanto a feijoada feita pela sua avó ou a do seu restaurante favorito sabe?

No blog Turismo em Roma vocês podem conferir dicas de vários restaurantes e comidas típicas.

Procurando hospedagem Roma? Aconselhamos o booking.com 😉

Agora me conta qual a sua região preferia para se hospedar em Roma?


  • 1

Nossa experiência com o couchsurfing

15 dias pela Europa, 3 países e 4 couches

Eu e a minha friend Soraya fizemos as malas (de 10 kg da Ryanair) e partimos para uma aventura pela Europa. Londres, Milão, Veneza e Madrid. E sim, nos hospedamos em casa de couchsurfers em todas estas cidades e foi simplesmente gratificante. Conhecemos pessoas que hoje podemos considerar amigos, descobrimos essas cidades de uma forma fascinante, que talvez como turistas ”comuns” jamais conheceríamos.

Londres

Nossa experiencia de ”sofá” em Londres nos abriu o coração para o resto da viagem. Fomos recepcionadas por um rapaz especialmente atencioso e preocupado com o nosso bem estar na cidade. Tivemos visita guiada, experimentamos o típico ”english breakfast” feito em casa. Ele nos deus referências de todos os transportes para jamais ficarmos perdidas. E ainda tivemos companhia para assistir jogos das Olímpiadas de 2012 em pubs tipicamente ingleses, longe do burburinho turístico, mas com gente de ”casa” mesmo, sabe?

Gisele, Mor Persian (surfer em Londres) e Soraya

Gisele, Mor Persian (surfer em Londres) e Soraya

Milão

Longe de conhecer exclusivamente a Milão da moda, das lojas super luxuosas e da Catedral Duomo. Conhecemos o lado super amizade e família da cultura italiana.

Na primeira noite fomos a um jantar (Risotto alla Milanese – incrivelmente delicioso) na casa dos amigos do nosso ‘surfer’. E os demais dias que estivemos por lá passou-se por visitas guiadas aos pontos turísticos da cidade, com direito a aulas de história, incentivo a algumas loucuras “do tipo entrar no chafariz ” porque estava um calor de 40 graus.

Nós, o Paolo (surfer de Milão) e os amigos dele.

Nós, o Paolo (surfer de Milão) e os amigos dele.

Balada boa, com direito a ouvir ”tche tche re rê tche tche” e ver os italianos ao delírio dançando e até cantando. (Sim, depois de alguns anos vivendo fora percebemos que a nossa cultura de massa faz a festa em outros cantos do mundo também haha).

E descobrimos que os italianos gostam de feijoada e de competir com o futebol do Brasil. Eles  estão pensando em ganhar o penta-campeonato na Copa do Mundo no Brasil em 2014. Será?

Veneza

Depois de descobrir que sou amante incondicional de queijo, nosso ‘surfer’ em Veneza fez da geladeira o meu paraíso. Vários tipos diferentes de queijo, hmmm e eu me joguei. Preparou almoços e jantares ao sabor de pasta, pizza, espumante italiano e ”anguria ubriacca” (bebida feito com prosecco e suco de natural de melancia). Leia aqui como me desviei dessa bebida, pois eu não gosto de melancia hehe.

Passeio de barco com o Jacopo (surfer de Veneza)

Passeio de barco com o Jacopo (surfer de Veneza)

Passeamos de barco e festamos com os amigos dele. Ouvimos histórias de uma Veneza que eu jamais pensei conhecer. A cidade do romantismo, mas também das ruas estreitas e por vezes sombrias e assustadoras. Que a noite só os turistas dormem lá. Festa mesmo só nos hotéis. E que os jovens quando completam 18 anos não ganham carros, ganham barcos.

Madrid

Em Madrid nos hospedamos numa casa de estudantes, onde o nosso anfitrião foi um mexicano, o Erik.. Fui recepcionada com chá de vitamina C, porque a esta altura do campeonato eu já estava doente com tanta mudança de clima.

Balada com Éric (surfer de Madrid) e o amigo dele.

Balada com Erick (surfer de Madrid) e o amigo dele.

Uma pequena melhora e fomos de ”cañas y tapas” pelo centro da cidade. Longas conversas sobre a vida. E descobri que um desconhecido pode virar um grande amigo, depende do valor que se dá a esse encontro.

Passou por aqui? Comenta vai! 🙂

Leia também: O que visitar em Madrid; Nossas dicas sobre Londres; O que visitar em Veneza; O que fazer em Milão.

Por: Gisele Almeida


  • 0

Milão



728x90_SAO_FRA.jpg

Sempre que comentava sobre minha vontade de viajar para Milão meus amigos que já tinham visitado a cidade diziam que por lá não havia muito para visitar . Diziam que é uma cidade sem graça, para não dizer feinha mesmo…

Catedral Duomo - Foto por: Gisele Almeida

Catedral Duomo, Milão.

Acho que eles tiraram essas conclusões porque os monumentos típicos e casarões antigos estão localizados basicamente no centro da cidade,  próximo a catedral Duomo. E os outros bairros da cidade são cheios de prédios residenciais “comuns”, ou até mesmo porque a cidade é um pouco descuidada, com prédios sujos e pichados.

E se compararmos com outras cidades da Itália, como Roma e Veneza, por exemplo, não tem aquele glamour de Itália, pelo menos não a primeira vista, entendem?

Mercado com pichações em Navigli District - Milão. Foto por: Gisele Almeida

Mercado com pichações em Navigli District – Milão. Foto por: Gisele Almeida

Mesmo assim um dia deixei de ouvir esses boatos do contra e incluí Milão na minha viagem de comemoração de fim de faculdade.  E ainda bem que fui!

Como chegar até Milão

Fomos de Londres para Milão viajando de Ryanair, então chegamos no aeroporto de Bergamo. De lá pegamos o ônibus Terravision, a passagem custou 5€ o percurso levou cerca de 1h.

O ônibus te deixa próximo da estação de trem e metro Milano Centrale. O bilhete do metro custa 1,50€ e vale por 90 minutos, nesse período você pode mudar de linhas até chegar ao seu destino. Tem também uma oferta de 10 bilhetes por 13,90€.

Estação de Milano Centrale - Foto por: Gisele Almeida

Estação de Milano Centrale – Foto por: Gisele Almeida

O que visitar em Milão

A dica top #1 que fez com que eu tivesse uma ótima experiência na cidade foi fazer couchsurfing. Isso porque a hospitalidade italiana pode transformar o que poderia ser uma visita “sem graça” ao Duomo a uma ótima aula de história sobre os pontos turísticos da capital da moda, eles adoram conversar sobre isso.

Além disso os surfers poderão te mostrar, ou pelo menos te dar dicas, sobre o melhor da cidade, com o ponto de vista de quem  nasceu e vive por lá, aquele barzinho legal que ele vai com os amigos, aquele restaurante próximo de casa, coisas fora do senso comum turístico, sabe?

E é bem provável que irão fazer de tudo para que você se sinta em casa, como se fosse um amigo, fazendo jus à hospitalidade italiana.

Soraia e os surfers Cristian. Paolo e Davide.

Soraia e os surfers Cristian. Paolo e Davide.

O que fazer em Milão em 2 dias

Na verdade fiquei em Milão durante 5 dias,  mas para este post não chegar ao infinito vou contar o que fizemos day by day, com dicas de bares, baladas, passeio ao Lago di Como e otras cositas mas em outros capítulos.

1º dia: Eu e minha amiga Soraya fomos super bem recebidas pelo nosso surfer, o Paolo. Quando chegamos na casa dele outra surfer estava lá, tivemos um super almoço, home made pasta #yummy! Feita pelas mãos do Paolo e acompanhado de vinho e queijo. Prego!

Descansamos um pouco pela tarde e depois fomos jantar na casa de um dos amigos do nosso surfer, o Cristian, que preparou um risotto a Milanesa.  Dio santo que risotto! Sem dúvidas o melhor que já experimentei. Além da super recepção e simpatia de todos os italianos.

Risotto a Milanesa na casa do Cristian.

Risotto a Milanesa na casa do Cristian.

Depois do jantar fomos conhecer a região onde fica a Catedral Duomo e andamos pelas ruas próximas a Duomo, nesta região há várias lojas de marca. Gostei muito de andar por ali e ver a convivência imponente de arte e moda no mesmo local.

Loja Prada na Galleria Vittorio Emanuele

Loja Prada na Galleria Vittorio Emanuele

Bem ao lado da Catedral Duomo fica a Galleria Vittorio Emanuelle. Além das lojas chiquérrimas os italianos nos contaram a superstição milanesa. Dizem que girar o calcanhar 3 vezes na bunda do touro que está desenhado no chão da Galeria dá sorte. Verdade ou crendice resolvemos não contrariar a tradição… (Ainda vou encontrar uma foto desse feito e postar aqui).

Galleria Vittorio Emamuele

Galleria Vittorio Emamuele

O bacana desse passeio, além de ter sido regado a muitas histórias e curiosidades sobre a cidade, contadas por gente da terra, foi apreciar com calma a vida noturna de Milão. Pelo menos por ali parecia uma cidade pacata, com casais passeando de mãos dadas e alguns turistas tirando fotos. A sensação era como se estivesse andando em uma segunda-feira a noite em um cidade histórica de Minas.

Uma das pracinhas calmas de Milão -

Uma das pracinhas calmas de Milão –

2º dia: No segundo dia fomos visitar o Lago di Como. Estávamos por lá em pleno verão europeu e o calor estava literalmente de matar. Então esse passeio veio mesmo salvar a pátria! Que região montanhosa linda!

É impossível não gostar das casas típicas que estão em volta do lago, que é o terceiro maior da Itália, e impressiona por si só.

Como 2

Lago di Como

Como chegar até o Lago di Como

De trem: Vá até a estação de Milano Centrale e nas máquinas automáticas compre o bilhete. O percurso da viagem dura mais ou menos uns  50 minutos e custa cerca de 10€.

Visitar o Como é um passeio  ideal para quem vai passar uns dias a mais em Milão.

É tão bonito o lugar que até o George Clooney se encantou e comprou uma casinha na região. Tietagem a parte, o Como é lindamente incrível mesmo e vale a pena a visita.

Casinhas próximas ao Lago di Como

Casinhas próximas ao Lago di Como

De volta a Milão resolvemos retribuir a hospitalidades dos italianos e fizemos uma feijoada.  Essa é mais umas das coisas bacanas a respeito do couchsurfing, poder retribuir de maneira simples a hospitalidade nativa. Depois de um tour no supermercado tentando achar os ingredientes, o resultado foi melhor que o esperado e a feijoada super aprovada.

Feijoada na casa do Paolo

Feijoada na casa do Paolo

Navigli Distric: Depois da feijoada fomos passear em Navigli District, região próxima aos canais artificiais da cidade. Por ali ficam vários bares e restaurantes. É um lugar muito frequentado por turistas mas é também o ponto de encontro para o happy hour dos milaneses, como fomos no verão a região estava bastante movimentada. Eu não imaginava, mas por ali ainda está conservado um canal com construções de madeira (tábuas) onde as mulheres lavavam roupas há uns bons anos atrás.

Canal artificial em Navigli District

Canal artificial em Navigli District

Zog: Essa noite também fomos ao Zog, um bar que tem uma pegada rock in roll e depois ainda passeamos mais um pouco pelas ruas calmas de Milão. Alguém ainda acha que em Milão não tem o que fazer?

Zog Bar - Navigli District - Milão

Zog Bar – Navigli District – Milão

5 dicas para aproveitar Milão

1 – Lembre-se de experimentar vários sabores de sorvete e trocar ideias com o dono/funcionário da gellataria, com certeza estarão disponíveis para te dar dicas sobre a cidade. Eles adoram conversar!

2 – Em média  as refeições são baratas (no almoço), mas esteja atenta ao preço das bebidas. No Café Cavalieri pagamos 7€ por uma deliciosa lasanha e 5€ por uma coca-cola no mesmo restaurante.

Cafe Cavalieri

Rindo porque ainda não sabíamos o preço da coca-cola hehe

3 – Se visitar a cidade na época de saldos dá para comprar artigos (inclusive de marca) por um preço mais acessível.

4 – Na praça onde fica a Catedral Duomo ficam uns rapazes te “oferecendo” milho para alimentar os pombos. Caso resolva cair em tentação para tirar fotos com os pombos, cuidado! Eles vêem aos bandos e bicam braços e mãos e isso dói. Veja o drama pela carinha da Soraya!

Alimentando pombos em Milão

Alimentando pombos em Milão

Vou deixar mais dicas sobre Milão em um próximo post. Então aguardem cenas (#dicasbafo) do próximo capítulo

Procurando hotel em Milão?

Faça a sua reserva de hotel Milão usando o Booking.com, além de seguro e prático, ao fazer a reserva clicando nesse link do nosso blog  todos saem ganhando: você opta por um site confiável e com ótimas ofertas e nós do VPE recebemos uma comissão.

Assim podemos continuar trabalhando para compartilhar sempre as melhores dicas para você programar sua viagem e claro, reviews sinceros sobre hospedagem para as cidades da Europa. ;)

E você, o que achou de Milão?


Viajar pela Europa no Facebook

Hotéis

Booking.com

Instagram

Gisele Almeida em O mundo segundo os brasileiros

Receba nossas dicas imperdíveis para a sua viagem

Promotion 468x60 468x60_reload-V2
Close