Category Archives: América do Sul

  • 1

Encontro da Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem em Belo Horizonte

Tags : 

Foi show! Durante o último fim de semana de novembro, aconteceu, em Belo Horizonte, o Encontro da Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem (ERBBV) 2016. Dezenas de bloggers apaixonados por colocar o pé na estrada se reuniram para debater e aprender mais sobre a arte de apresentar o mundo aos internautas por meio de conteúdo online (blogs, sites e redes sociais). Mais do que isso: todos foram estimulados a pensar como e quais as melhores formas de rentabilizar o próprio conteúdo e lidar com parceiros dos mais diversos segmentos ligados à indústria do turismo.

Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem - Belo Horizonte - Pampulha

O encontro foi aberto oficialmente no restaurante Maria das Tranças, na noite da sexta-feira, dia 25. A casa oferece todos os quitutes mais afamados da cozinha mineira e tem o melhor frango ao molho pardo do Brasil! Me acabei naquele frango com quiabo acompanhado por angu. Me dá água da boca só de lembrar daquela tentação! A noite foi um mimo concedido pela Easysim4you, empresa que oferece o serviço de internet mobile em diversos países.

Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem - Belo Horizonte - REstaurante

No sábado (26) e domingo (27), os dias foram marcados por tours pela bela capital mineira. Os bloggers estiveram no Mercado Central, onde é possível experimentar uma miríade de sabores e admirar o belo artesanato mineiro. Queijos, doces dos mais diversos tipos, bebidas, petiscos, pastéis. Objetos feitos de palha, madeira e barro, peças de vestuário e decoração feitas a mão. Foi, realmente, um mergulho na cultura de Minas Gerais. Não sei não, mas, como mineiro, acho que o pessoal que veio de fora já teve motivos de sobra pra voltar à cidade logo nesse primeiro “rolê”! (risos)

O outro tour foi pelo Complexo Arquitetônico da Pampulha, projetado por ninguém menos que Oscar Niemeyer. Os blogueiros apreciaram a ousadia das curvas da Casa do Baile, do Iate Clube e da simpática Igrejinha de São Francisco de Assis, além do hermetismo do Museu de Arte. Tudo isso à beira da icônica Lagoa da Pampulha. Foi “lindimais da conta!” Essas joias da arquitetura moderna brasileira são Patrimônio da Humanidade desde julho de 2016. E não é para menos!

Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem - Belo Horizonte - Museu da Pampulha

No sábado tivemos ainda um happyhour na Albano’s. Um momento a mais para enturmar, conhecer os projetos dos colegas blogueiros e fazer contatos. A conversa foi “regada” a muito chop (coisa que quase ninguém gosta, né?) e pelos deliciosos petiscos da casa.


Reserva agora o seu transfer do aeroporto para o centro de Belo Horizonte!

O mais importante do encontro, na minha opinião, foram as palestras, ministradas na tarde de sábado e ao longo de todo o domingo. Elas foram do mais simples e prático às questões operacionais e de rentablização de blogs, sites e redes sociais. Foi incrível poder absorver tanta coisa em apenas dois dias. Foi também inspirador conhecer histórias de sucesso, de pessoas que hoje vivem em função da prazerosa missão de viajar e compartilhar informações, de inspirar pessoas a viajar mais e melhor (um dos pontos que fazem parte da filosofia do Viajar pela Europa).

Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem - Belo Horizonte - Encontro RBBV

O evento foi finalizado no fim da tarde do domingo e terminou da forma mais incrível que se possa imaginar. Blogueiros mais experientes, em um gesto de incrível generosidade, estenderam as mãos a quem está apenas começando, dando os primeiros passos com o blog. Foi iniciada uma mentoria, um tipo de consultoria para quem quer profissionalizar o blog contando com o knowhow de pessoas mais experientes. Esse contato entre padrinhos e apadrinhados se prolongará em 2017.

Na manhã de segunda-feira, quem pôde seguiu para Ouro Preto e Mariana, duas das mais conhecidas cidades históricas de Minas Gerais. Eu não pude ir devido a uma viagem que teria que fazer no dia. Mas, tenho certeza, foi incrível, pois o dia estava lindo.

Gostaria de agradecer a oportunidade de participar desse evento que, com certeza, vai ficar marcado na memória. Mais que um blogueiro mais preparado, o ERBBV  me tornou uma pessoa com uma visão mais dilatada do mundo e das oportunidades de que é feita a vida! Nós, do VPE, agradecemos a todo o pessoal da organização do encontro na pessoa da Cláudia Saleh, quem estruturou essa incrível rede de blogueiros de viagem que completou 5 anos no dia 27 de novembro <3

Estou aguardando ansiosamente o nosso próximo encontro. Abaixo, a caneca do pessoal do blog Vida sem Paredes que ganhei em um dos muitos sorteios que aconteceram entre uma palestra e outra.

Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem - Belo Horizonte
Patrocinadores

Viajanete
Easysim4u
Zarpo 
Booking 

Organizadores

Aprendiz de Viajante
Luciana Misura
Blog só viagem

Aproveite as ofertas da TAP e marque já sua próxima viagem pela Europa! Promotion 468x60
Aproveite as melhores ofertas e reserve já o seu hotel! 468x60_reload-V2

  • 0

Como programar uma viagem para Machu Picchu

Machu Picchu é um dos lugares mais incríveis do planeta e por isso nesse post de estréia no blog Viajar pela Europa eu vou dividir com vocês os detalhes essenciais de quando ir e como se preparar essa viagem.

             Panorâmica de Machu Picchu. A paisagem é tão incrível que nenhuma foto faz jus à beleza do lugar

Machu Picchu também é chamada de “a cidade perdida dos Incas”. Essa cidade, rodeada de mistérios,  foi construída antes da chegada dos espanhóis no Peru e ficou abandonada até 1865, mas hoje se tornou o parque nacional mais famoso do Peru e uma das novas Sete Maravilhas do Mundo.

O lugar é maravilho e para chegar chegar lá dá um pouquinho de trabalho. Mas todo esforço tem sua recompensa, não é mesmo?

Um dos dias mais incríveis da minha via. Parque Arqueológico de Machu Picchu.

Planejando a viagem para Machu Picchu

Para te ajudar a chegar lá vou responder aqui algumas das dúvidas mais frequentes dos viajantes que estão programando uma viagem para Machu Picchu. Essas foram as informações que achei essenciais para ter uma incrível experiência nesse lugar tão místico!

Quando ir a Machu Picchu? 

A cidade perdida dos Incas está em uma área tropical onde chove muito. Além disso, por ser muito alto, muitas vezes não dá para ver muito bem por conta das nuvens e da neblina. Por isso evite os meses de verão porque é a estação mais chuvosa. Já o inverno é muito seco.

A melhor época para visitar Machu Picchu é entre maio e setembro. Eu fui em setembro e não pegamos nenhum dia de chuva na região. Nessa época as temperaturas estarão entre 15°C e 25°C, mas com as roupas adequadas dá para aguentar.

É fundamental ir numa época com pouca chuva, assim vc terá muito mais chances de ver essa paisagem fantástica claramente. Com chuvas, as nuvens podem ficar baixas e cobrir tudo.

É fundamental ir numa época com pouca chuva, assim você terá muito mais chances de ver essa paisagem fantástica claramente. Com chuvas, as nuvens podem ficar baixas e cobrir tudo.

Como ir do Brasil para Cusco?

Não há voos diretos do Brasil para Cusco, a maior cidade do Peru que está mais próxima a Machu Picchu, por isso você terá que parar obrigatoriamente em Lima. O lado positivo disso é que dá para conhecer a capital do país, que é famosa pela gastronomia e é uma cidade tão agitada quanto São Paulo. Cheia de baladas e barzinhos legais. Vale a visita! 😀

O ideal é ir de Lima para Cusco de avião,  porque a viagem de ônibus para esse percurso dura 10 horas, eu particularmente prefiro utilizar esse tempo para conhecer mais lugares. 

Nós começamos nossa viagem pelo Peru em Lima e viajamos apenas as curtas distâncias de ônibus com a empresa Cruz del Sur. Foi confortável, seguro e barato. Nesse caso eu recomendo!

Quantos dias ficar em Machu Picchu?

Dormimos um dia em Aguas Calientes, a cidade mais próxima, e no dia seguinte cedinho fomos a Machu Picchu. Uma noite e um dia foram suficientes para vermos o que queríamos.

O que é o tal mal da altitude? 

Apesar de ter lido em todos os blogs sobre o tal mal da altitude e que devemos chegar pelo menos um dia antes para se ambientar e não passar mal, eu fui teimosa! (rs) Comecei minha viagem por uma cidade no norte do Peru chamada Huaraz, que fica a 3052m acima do nível do mar, altitude maior do que Machu Picchu, que fica a 2430m acima do nível do mar.

Bem, lá estava eu passeando quando me veio uns formigamentos nas pernas. Como nunca tinha sentido aquilo, achei que só tava coçando. Pois bem, uma horinha depois, passei tão mal que quase desmaiei na rua. Tive que voltar às pressas para o hotel e meu namorado teve que sair correndo pra comprar folhas de coca.

Se você como eu, não curte muito chá, há também a opção de comprar balas de coca pra aliviar os efeitos da altitude.

Sim, coca! Ajudou e muito! Acordei diversas vezes no meio da noite com falta de ar devido à altitude, e aí mastigava as benditas folhas e me sentia melhor. Santa folha! (rs)

Enfim, Machu Picchu não é tão alto quanto Huaraz, mas para não correr o risco de se sentir mal num dia mágico e desmaiar em frente a uma das sete maravilhas do mundo, adapte seu corpo em Cusco passando alguns dias lá primeiro.

Como chegar em Aguas Calientes

Há dois meios de ir de Cusco para Águas Calientes: a pé, por uma trilha guiada que dura mais ou menos 4 dias, que precisa ser reservada com bastante antecedência.

A outra opção é ir de trem. Nós escolhemos o trem que sai de Poroy, cidade a 30 minutos de Cusco. É preciso ficar atento  e tem poucas opções de horário. Mas é possível pegar o trem também de Ollantaytambo, que fica a 1hora e 20 minutos de Cusco e tem mais opções de horário.

Há duas empresas que fazem esses percursos: Peru Rail e Inca Rail. Fomos de micro-ônibus para Ollantaytambo, no Vale Sagrado, porque queríamos conhecer a cidade e também e porque preferimos pegar o trem durante o dia para ver a paisagem magnífica do caminho.

Vale lembra que a companhia de trem Peru Rail cobra por malas com peso acima de 8kg. Como não é necessário mais que dois dias em Aguas Calientes, leve apenas o necessário e deixe sua bagagem no hotel em Cusco.

estacion blog

Entrada da estação de trem em Ollantaytambo

Comprar um pacote para Machu Picchu em uma das empresas da Plaza de Armas em Cusco ou ir por conta?

 Nós compramos um pacote com transporte de ida e volta para Ollantaytambo, trem e hotel em Aguas Calientes, tour em Machu Picchu. Tudo deu U$200. Tome cuidado se também resolver comprar esse pacote em Cusco porque no nosso caso o dono da empresa simplesmente esqueceu de comprar nosso trem para Aguas Calientes e tivemos que adiar a viagem em um dia. Se for por conta, compre os bilhetes de trem com bastante antecedência no site da Peru Rail, assim poderá escolher o horário que quiser.

Estação de trem em Ollantaytambo.

A incrível viagem de trem para Aguas Calientes

A viagem entre Ollantaytambo e Aguas Calientes dura 1hora e 30 minutos. Apaisagem montanhosa é incrível! Faça questão de pegar o trem durante o dia em pelo menos um dos caminhos. Não esqueça de reservar uma poltrona à esquerda (se for na ida para Aguas Calientes). Tenho certeza de que vai adorar!

Caminho entre Ollantaytambo para Aguas Calientes. Foto tirada do trem.

Caminho entre Ollantaytambo para Aguas Calientes. Foto tirada do trem.

Porque dormir em Aguas Calientes e não fazer um bate e volta para Cusco

Depois de ser super cabeçuda e por não deixar tempo suficiente para visitar cidades incríveis, finalmente aprendi que não se deve montar um roteiro todo torto só para dizer que passou por algum lugar. Amigos, não vale a pena! Vai por mim… Melhor mesmo é aproveitar tudo o que um lugar tem para oferecer. Em Aguas Calientes, por exemplo, você pode ir na feirinha de lembrancinhas, banhos termais ou observar as montanhas altíssimas que circundam a pequena cidade.

Aguas Calientes e sua incrível localização no meio das montanhas.

Por isso, esqueça essa ideia maluca de fazer um bate e volta de Cusco. São 3h para ir e mais 3h pra voltar de Aguas Calientes. Depois, mais 40 minutos pra chegar na porta do parque (ida e volta de ônibus). Fora que você vai perder de dar uma volta na pequena Aguas Calientes que, por acaso, tem paisagens lindas. Desencana, viajante!

 Na volta para Cusco, reserve o trem noturno de volta para Ollantaytambo e compre sua passagem de ônibus para Machu Picchu  para o próximo dia bem cedinho. Você vai amar ver o sol nascendo por lá. Aproveite o dia em Machu Picchu e reserve o trem noturno no mesmo dia de volta para Ollantaytambo.

Olha o que você pode perder se andar com pressa na vida. Arredores de Macchu Picchu bem cedinho.

De Aguas Calientes para Machu Picchu

Funciona assim: os esportistas sobem a pé, 1 hora de degraus ladeira acima (ufa!). Os menos esportistas como eu (rs) vão de ônibus. Compramos nosso bilhete no hotel mesmo, mas achei esse site se quiseram pesquisar com antecedência. Pegamos o ônibus às 6 da matina e demorou 20 minutos para chegar lá em cima.

Entradas para Machu Picchu

Existem dois tipos de bilhetes: o que inclui somente Machu Picchu e aquele com direito a Machu Picchu e Huayna Picchu/Wayna Picchu. Dá uma olhada na foto abaixo para entender melhor.  😉

O segundo tipo custa por volta de U$71 e precisa ser comprado com muita antecedência, já que o parque limita o acesso a Huayna Picchu. Já ouvi algumas reclamações do site, mas se não quiser se arriscar e comprar um dia antes de ir a Machu Picchu, você terá que respirar fundo e encarar o tal site. (rs)

Nós decidimos comprar os ingressos na noite anterior em Aguas Calientes porque gostamos de altas emoções hahaha. Por ser em cima da hora, compramos o que dá acesso só a Machu Picchu que custou por volta de US$62.

Aquela montanha maior e super famosa é Huayna Picchu/ Wayna Picchu e a parte da cidade é Machu Picchu. Ai, ai...estou me apaixonando de novo só de olhar essa foto. :D

Aquela montanha maior e super famosa é Huayna Picchu/ Wayna Picchu e a parte da cidade é Machu Picchu. Ai, ai…estou me apaixonando de novo só de olhar essa foto. 😀

O que levar para Machu Picchu?

Em qualquer época do ano, você vai precisar de filtro solar e óculos de sol.  Além disso, não esqueça do passaporte, da água e um lanchinho. Mas atenção, é proibido comer dentro do parque.

Você pode estampar seu passaporte na saída do parque. Legal, né?

Você pode estampar seu passaporte com um carimbo de Machu Picchu na saída do parque. Legal, né!

Siga a nossa página no Facebook e o nosso Instagram porque em breve vamos postar mais dicas sobre Machu Picchu! Hasta la vista! 😉

 

E você, tem alguma dica sobre Machu Picchu?


Viajar pela Europa no Facebook

Hotéis

Booking.com

Instagram

Gisele Almeida em O mundo segundo os brasileiros

Receba nossas dicas imperdíveis para a sua viagem

Promotion 468x60 468x60_reload-V2
Close