Author Archives: Gisele

  • 0
Onde Dormir no Douro

Onde dormir no Douro – Quinta Padres Santos

Tags : 

Na minha última passagem por Portugal, fiz um exclusivo passeio de barco pelo Douro. Além da paisagem deslumbrante da região, uma das experiências mais marcantes dessa viagem foi minha estadia na Quinta Padres Santos.

Onde Dormir no Douro

A Quinta Padres Santos é um empreendimento de Agroturismo que alia a agricultura ao patrimônio etnográfico. Podemos dizer que trata-se de um estilo de hotel fazenda típico de Portugal.

Onde Dormir no Douro

Se você procura onde dormir no Douro, não espere aqui uma hospedagem comum. Logo ao chegar na Quinta Padres dos Santos, você será recebido na porta, pela própria dona, a Lina, que dará as boas-vindas como quem recebe um membro da família. Lá, espera-se que o viajante se sinta em casa, de verdade.

A Quinta Padres Santos é um lugar calmo e aconchegante onde podemos admirar as montanhas da região, tomar banho de rio no meses de verão e até mesmo colher cerejas no pé. Um cantinho perfeito para fazer uma pausa na vida agitada das cidades e aproveitar os encantos da natureza da região do Douro.

Vale lembrar que a hospedagem pode incluir também as refeições. Nesta aconchegante sala de jantar, provamos as muitas delícias típicas da região do Douro.

Além da hospitalidade calorosa, ressalto que as delícias preparadas para o nosso jantar tornou nossa estadia ainda mais inesquecível. Foram horas de uma conversa agradável, apreciando os pratos preparados pela dona Lina.

Acredita que esta mesa era só a das entradas?

Onde Dormir no Douro

Para o café da manhã, além de frios, queijos e frutas, são servidos bolos, croissants e pães feitos na cozinha da Quinta. Quer luxo maior que acordar com aquele cheirinho de pães e bolos feitos na hora?

Onde Dormir no Douro

Leia também: Passeio de barco exclusivo pelo Rio Douro

O local conta ainda com um SPA e dispõe de um jacuzzi com vista para o vale. Isso sem contar a sauna, o banho turco, a academia e a piscina exterior.

Durante minha estadia não tive tempo de aproveitar o SPA e ainda estava frio para dar uns bons mergulhos na piscina. Mas ficou aqui uma boa desculpa para retornar à Quinta dos Padres Santos. =)

Onde Dormir no Douro

Ao todo, a Casa da Quinta possui 5 quartos duplos ou twin, 2 suítes nos moinhos de água e 2 casas de um quarto.

Todos os quartos  da Quinta Padres Santos são temáticos, e  no lugar de números, eles levam o nome de uma fruta produzida no lugar. Fiquei hospedada no quarto cereja, que tem uma decoração super aconchegante e com detalhes em vermelho – minha cor favorita.

Sem contar os mimos com sabor de cereja que estavam disponíveis…

Onde Dormir no Douro

O que posso dizer sobre minha estadia na Quinta Padres Santos é que o universo atendeu a todos os meus pedidos, me levando a um local de ambiente e aconchego familiar.

Decidi retornar a Portugal para matar a saudade dos amigos e fugir um pouco da escuridão e frio da Suécia. O inverno por aqui às vezes castiga, não só pelas baixas temperaturas, mas também pelo isolamento e solidão. No meu círculo de amigos, quase todo mundo viaja nessa época e fica bem complicado passar por esse período longe da família. Nessa hora a saudade aperta, sabe?

Então eu viajei para o Porto para abraçar os amigos e sonhar com umas férias com gostinho de visita à família. E foi exatamente o que eu tive na Quinta Padres Santos. Voltei para Estocolmo fazendo parte do que a própria Cátia Gonçalves, proprietária do local, afirma ser sua grande família. Nem preciso dizer que espero voltar em breve, né?

Você também quer se hospedar na Quinta Padres Santos? Envie um email para quintapadressantos@gmail.com e diga que é leitor do blog Viajar pela Europa 🙂

Site oficial: Quinta Padres Santos

Aproveite as ofertas da TAP e marque já sua próxima viagem pela Europa! Promotion 468x60
Aproveite as melhores ofertas e reserve já o seu hotel! 468x60_reload-V2

  • 0

3 motivos para te convencer a visitar Bergen, na Noruega

Bergen foi amor a primeira vista. Me encantei pela cidade desde o momento que desci do trem e comecei a explorar suas suas ruazinhas charmosas.

Se você ainda está em dúvida se deve incluir Bergen no seu roteiro de viagem pela Noruega, aqui tenho 3 motivos que vão te convencer agora mesmo.  E já adianto que você deveria reservar pelo menos 2 ou 3 dias para explorar a cidade.

3 motivos que vão te convencer a visitar Bergen

1- Arquitetura peculiar: Bergen é a segunda maior cidade da Noruega. As casas e prédios de Bergen apresentam estruturas que preservam o estilo urbano-medieval. Mas vale mencionar que, devido à sua vulnerabilidade, por conta das casas de madeira e as ruas estreitas, a cidade já sofreu com  vários incêndios.

No último, em 1955, sobraram apenas 62 casas de madeira construídas no século XVIII. “Para evitar novos acidentes, a preservação e a construção de edifícios seguem um regulamento técnico de edificações, com rigorosas normas de segurança”, explica Sunniva Helland, representante da empresa Saunders Architecture de Bergen.

Com casas de madeiras coloridas, telhados em forma de triângulo e enfileiradas em frente ao porto, o bairro Bryggen hoje faz parte da lista de Patrimônios da Unesco.

Hoje as históricas construções que eram eram as residências dos comerciantes alemães da Liga Hanseática abrigam restaurantes típicos e lojas de artesanato e design locais.

Foto por – Bergen Tourist Board Girish Chouhan – visitBergen.com

2 – Paraíso para amantes de frutos do mar – Do lado oposto ao Bryggen fica localizado o Fisktorget, o Mercado de Peixe, um ponto de encontro para nativos, comerciantes e turistas. A Noruega é o segundo maior exportador de peixe do mundo, ficando atrás apenas da China.

Bergen

Foto por – Terje Rakke – Nordic Life AS -www.fjordnorway.com

O Fisktorget é um verdadeiro oásis para os amantes de frutos do mar. A presença de vendedores anunciando as especialidades em barracas vermelhas, nas imediações do porto de Bergen, dão uma atmosfera pitoresca à cidade. Por ali, é possível experimentar pratos que vão do salmão ao bacalhau fresco. Degustar uma sopa de mariscos ou a exótica carne de baleia, que os comerciantes fazem questão de informar, é resultante de pesca autorizada.

3 – Paisagens deslumbrantes –  Bergen é a porta de entrada para uma das paisagens mais exuberantes do planeta: os fiordes. Os enormes vales formados por rochas e inundados pela água resultante do derretimento do gelo em sucessivas eras glaciais. Os fiordes são verdadeiras obras de arte da natureza.

Os fiordes ocorrem em áreas próximas aos polos da Terra. A Noruega é o país com o maior número deles no mundo. Do alto do Monte Fløyen, uma das sete montanhas de Bergen, é possível observar a entrada dos fiordes.

Aliás, o Monte Fløyen é um passeio imperdível na cidade. A Lidiane já deixou aqui todas as dicas para você visitar as atraçõoes de Bergen de uma maneira pratica e econômica.

Na Noruega, o mar se ramifica entre as paredes das montanhas, levando as águas a desbravarem novos caminhos para o interior do continente e o resultado é essa paisagem de tirar o fôlego.

Bergen

Foto-por-Bergen-Tourist-Board-Robin-Strand-visitBergen.com

 


  • 0
Passeio de Barco pelo Douro

Exclusivo passeio de barco pelo Douro Vinhateiro com Douro à Vela

Tags : 

Nos 4 anos que vivi na cidade do Porto, aprendi a admirar as curvas do belo rio que banha a cidade. O delicado Rio Douro, que nasce na Espanha e se encontra com o Oceano Atlântico na Foz do Douro.

Nesse tempo, muito ouvi falar das belezes do Douro, lá em cima, mais ao Norte, na região do Douro Vinhateiro. Mas por ter tido outras prioridades, acabei adiando esse passeio.

Nessa última viagem ao Porto, decidi que, finalmente, iria conhecer a região e aceitei um convite que me tentava há muitos anos.

Conheço a empresa Douro à Vela praticamante desde que foi fundada pelo simpático Sr. António Pinto. Na época, eu trabalhava para a revista Time Out Porto e fui uma das primeiras a escrever sobre os passeios oferecidos por eles.

Desta vez eu estava viajando apenas com a Nicole e a garantia era de que o passeio seria ideal também para famílias. Então eu não podia recusar, não é mesmo?

Passeio de barco pelo Douro

Passeio de barco pelo Douro com Douro à Vela – Turismo fluvial

Douro à Vela – Turismo fluvial  oferece passeios privados e exclusivos pelo Douro Vinhateiro.

Caso ainda não saiba, o Alto Douro Vinhateiro é uma zona de Paisagem Cultural, declarada Patrimônio Mundial pela Unesco.

A paisagem cultural do Alto Douro combina a beleza do vale do rio Douro com belas montanhas que se tornam ainda mais incríveis por terem sido adaptadas para o cultivo de uvas para a produção dos famosos vinhos portugueses.

A paisagem é tão linda que parece ter sido desenhada à mão!

passeio de barco pelo douro

Eu já vi paisagens e fenômenos incríveis na minha vida, como os fjords da Noruega,  a Aurora Boreal na Suécia ou as praias cristalinas da Grécia, mas confesso que as belezas das montanhas e curvas do Rio Douro entraram definitivamente para minha top list de lugares mais lindos que já visitei.

Minha dica extra é: marque seu passeio próximo ao horário do pôr do sol. 😉

Passeio de barco pelo Douro

Como foi o nosso passeio de barco pelo Douro com  Douro à Vela

Pegamos o trem do Porto para a Régua na estação de Campanhã, no Porto, às 9:15 da manhã. A duração da viagem é de cerca de 2 horas.

Assim que chegamos na estação da Régua, o Sr. Antônio já nos esperava. De lá ele nos conduziu até o cais Folgosa do Douro localizado bem em frente ao famoso  Restaurante DOC, do Chefe Rui Paula.

No cais, o barco que seria nosso transporte durante as horas seguintes  já nos esperava. Navegamos durante toda a tarde pelo Rio Douro.

Vale lembrar que os passeios com Douro à Vela são exclusivos e personalizados. Basta dizer sua disponibilidade e preferência que o Sr. António com certeza irá adaptar o passeio às suas escolhas. Podendo, inclusive, ir te buscar na Cidade do Porto.

A empresa oferece desde passeios de duas horas ao dia inteiro e podem ainda incluir almoço ou jantar a bordo ao estilo picnic.

É possível programar pedidos de casamentos, aniversários ou comemorações de outras datas especiais.

Optei pelo passeio de barco com almoço-picnic e fiquei apaixonada pelos quitutes feitos em casa com todo carinho pela Margarida. Deliciosos petiscos típicos da região norte de Portugal.

passeio de barco pelo douro

Depois do nosso delicioso almoço no barco, fizemos uma parada para conhecer a bela estação do Pinhão, que, além de uma vista exuberante para o Douro, tem as paredes cobertas por azulejos pintados à mão, com imagens que contam a história das pessoas que vivem na região.

passeio de barco pelo douro

Logo a seguir, visitei a Quinta do Bonfim, um dos principais produtores de vinhos de qualidade superior do Porto.

A Quinta do Bonfim é responsável por cerca de 32% do total da produção de vinho de categorias especiais da região.

Nada como ser atendida por uma equipe atenciosa, aprender um pouco mais sobre  a produção do vinho e, ao final do passeio, poder degustar dois tipos de vinho do Porto com essa vista incrível.

passeio de barco pelo douro

Retornamos ao cais Folgosa do Douro e o Sr. António nos conduziu para a Quinta Padres Santos, onde nos hospedamos por uma noite. Em breve vou contar como foi nossa experiência.

Já posso adiantar que foi uma das estadias mais gratificantes da minha vida.

E agora você já sabe que o passeio de barco pelo douro com Douro à Vela pode incluir também estadia em um dos hotéis ou Quintas da Região do Douro.

 

Quer fazer esse exclusivo passeio de barco pelo Douro? Envie email para info@douro-a-vela.pt e diga que é leitor do do Blog Viajar pela Europa! =)

Site oficial: Douro à vela – Turismo Fluvial no Douro

Quinta do Bonfim

Fontes: Unesco Portugal e Visit Portugal


  • 3
criar filho bilingues

Tudo que você precisa saber para criar filhos bilíngues

Tags : 

O ser humano nasce com a incrível capacidade de aprender qualquer língua falada no planeta. Estar em contato com diversos idiomas desde a infância se torna um patrimônio inestimável para as crianças em vários sentidos. Seja para ampliar as oportunidades profissionais ou até mesmo para preservar a saúde mental.

E foi acreditando nisso que, desde minha gravidez, eu tive certeza que eu iria criar a minha filha falando no mínimo dois idiomas. Hoje ela está com 2 anos e 6 meses e a cada dia eu me sinto mais feliz e orgulhosa com o seu desenvolvimento linguístico. A Nicole fala português e sueco e já está aprendendo um pouco de inglês.

criar filhos bilingues

Foto por: Felipe Minnicelli

 

Mas criar um filho bilíngues tem seus desafios e gera muitas dúvidas. Será que estar exposto a mais de um idioma por confundir a criança? As crianças bilíngues apresentam algum atraso no desenvolvimento da fala? O que fazer quando o filho/a se recusa a falar um dos idiomas?

Encontre aqui todas as respostas para as suas dúvidas sobre criar filhos bilíngues.

Criar filhos bilíngues pode confundir as cabeça das crianças?

Recebo quase que diariamente dúvidas de leitores ou amigos que pretendem criar os filhos em ambientes multilinguísticos e as principais são: será que essa exposição multilinguística não criaria um atraso no aprendizado da fala ou não poderia confundir as crianças?

Além de ler muito sobre o assunto eu entrevistei profissionais da área para desmitificar os aspectos da criação bilíngue. A Juliana Neves Lindgren é graduada em Letras pela Universidade de São Paulo (USP) e em Fonoaudiologia pelo Karolinska Institutet, da Suécia e conta que não existe nenhum estudo que aponte o bilinguismo como atividade que pode confundir a criança.

“Nosso cérebro foi feito para aprender várias línguas. A maioria da população do planeta vive em locais onde se fala mais de uma língua. Nem por isso, as pessoas são mais confusas do que as populações que vivem em ambientes homogêneos linguisticamente, como é o caso do Brasil”, reflete a especialista atuante na área de distúrbios de linguagem com crianças em idade pré-escolar.

Criar filhos bilingues pode criar atraso no aprendizado da fala?

Para a fonoaudióloga, a ideia de que o bilinguismo confunde as crianças é apenas um mito difundido até mesmo entre alguns profissionais da educação.

“Crianças bilíngues atingem os marcos do desenvolvimento da linguagem na mesma idade que crianças monolíngues”, afirma.

Ela explica que eventualmente crianças bilíngues podem demorar mais tempo para desenvolver o vocabulário nas respectivas línguas, já que aprendem cada palavra simultaneamente em dois ou mais idiomas.

Na Suécia, por exemplo, o multilinguismo é uma realidade na vida escolar. De acordo com dados do Skolverket, órgão do governo responsável pelo sistema de educação, as crianças estudam pelo menos três línguas até a 6ª série da escola pública. Nos primeiros anos de alfabetização, os alunos estudam duas línguas: o sueco e o inglês.

Quando iniciam a 6ª série, eles escolhem mais uma língua estrangeira (espanhol, francês, alemão ou mandarim). No caso de filhos de imigrantes residentes no país, é garantido também o direito a aulas da língua materna desde a pré-escola.

Quais são os desafios de criar filhos bilíngues?

Para a criança desenvolver o aprendizado em diversas línguas simultaneamente, é essencial que os pais falem, expliquem, digam o nome das coisas, leiam livros e respondam às iniciativas de comunicação dos pequenos. Também é importante que eles tenham contato com outras pessoas falantes da língua materna ou paterna, além da família.

Atento a essa necessidade, em Copenhague, na Dinamarca, um grupo de mães brasileiras decidiu criar uma associação para incentivar o convívio entre crianças que falam português. “A Associação Brasileirinhos – DK promove encontros e atividades para proporcionar às crianças o contato com a língua portuguesa e com a cultura brasileira”, explica Tatiane Due, uma das idealizadoras do projeto.

Para os pais que criam filhos bilíngues, a persistência é um aspecto fundamental para que os filhos não se recusem a falar um dos idiomas.

A jornalista Maria Eugênia dos Santos (Magê), autora do blog Milão nas Mãos, tem duas filhas: Clara, de 10 anos, e Eloisa, de 8. Ela observa que, em certos momentos, as meninas respondem em italiano porque o vocabulário na língua do país de residência é mais rico.

“Às vezes eu finjo não entender o que elas dizem para incentivar a comunicação em português. Elas riem e repetem a frase novamente”, conta.

Criar filhos bilingues

Para a jornalista, falar com o coração é a chave para uma convivência amigável com outra língua. “Aqui em casa dizemos ‘Eu te amo’ e não ‘Te voglio bene’, comenta.

Ela acredita que educar com amor e sem cobranças é essencial para manter o interesse das filhas pelo português.

Entre brincadeiras, músicas e histórias, a suíça Claudia Boemmels, idealizadora da Revista Brasileiros Mundo Afora e residente em Berlim, ensina também o português para os filhos Fabian, de 9 anos, e Anna Lena, de 6.

“É essencial ser positiva e incentivar a expressividade deles de várias formas. Adoro quando eles cantam em português. Eles se juntam para brincar e cantam músicas brasileiras”, conta.

Criar filhos bilingues

Criar filhos bilíngues previne problemas mentais?

Estudos coordenados pela doutora em psicologia e responsável por pesquisas em diversas áreas relacionadas ao bilinguismo na Universidade de York, no Canadá, Ellen Biolystok, apontaram várias vantagens para o desenvolvimento cerebral das crianças bilíngues.

Publicada na revista científica Neurology, a pesquisa associa o bilinguismo a um atraso substancial no aparecimento de sintomas do Alzheimer. Os pesquisadores verificaram que os pacientes bilíngues tinham sido diagnosticados com a doença cerca de quatro anos mais tarde e relataram o aparecimento de sintomas cerca de cinco anos depois da mesma manifestação por parte dos pacientes monolíngues.

Os estudos também demonstraram que quem fala duas línguas no dia a dia tem vantagens cognitivas e apresenta maior facilidade para manter a concentração na resolução dos problemas e maior capacidade de foco.

Como criar filhos bilíngues mesmo morando no Brasil? Método One Parent One Language (Opol)

One Parent One Language (Opol) que significa (Um parente, uma língua) é uma técnica que consiste em definir papéis na família em que cada um dos pais é encarregado de ensinar um idioma aos filhos.

“Dessa forma, a criança vai saber diferenciar a língua e, futuramente, o ambiente em que ela será utilizada”, explica a empresária Vanessa Kammer e o marido, residentes há seis anos no Canadá,  que optaram por criar o filho utilizando o método.

Vanessa conversa apenas em inglês com Eric, de 14 meses, enquanto o pai fala português. “Moramos na Província do Quebec. Aqui os alunos não aprendem inglês na escola, mas no futuro eu pretendo me mudar para uma província inglesa. É para isso que estou preparando meu filho”, comenta Vanessa, que revela ser alvo de críticas pela decisão.

“As pessoas acham que, como sou brasileira, deveria apenas falar em português com o Eric, mas estou certa de que estou fazendo o melhor para o futuro dele”, argumenta.

Criar filhos bilingues

O brasileiro Marcelo Perrucci, residente em Brasília, também resolveu adotar o Opol em sua família. Pai de Yuna, de 4 anos, e William, de 2, Marcelo se comunica apenas em inglês com os filhos enquanto a mãe das crianças é responsável por ensinar o português.

“A língua inglesa é muito importante na sociedade. Mesmo vivendo no Brasil, convivemos com o idioma diariamente em filmes, livros ou músicas. Queremos dar aos nossos filhos a oportunidade de crescer entendendo melhor a diversidade  cultural do mundo”, comenta Marcelo.

Exemplos de sucesso!

A Isabel Löfgren é um exemplo de sucesso da criacão multicultural. No dia que nos conhecemos ela falava um português bem-articulado, sem sotaque e com expressões culturais e até soltava algumas gírias. Isabel é Doutora em filosofia, artista plástica, escritora e mãe do Theo, de 3 anos, e com o filho ela se comunica apenas em português.

Criar filhos bilingues

Tudo isso não seria novidade não fosse o fato de ela ser sueca. Isabel Löfgren cresceu em um ambiente multicultural. Em casa, a mãe, brasileira, só falava em português, enquanto o pai, natural de Estocolmo, só se expressava no idioma do país escandinavo.

O português e o sueco não foram os únicos idiomas que se tornaram  familiares para Isabel desde a infância. Os pais se comunicavam em francês, o que possibilitou que ela aprendesse mais uma língua.

“Quando eles se conheceram, minha mãe não falava sueco, e meu pai não falava português”, comenta Isabel, fluente em cinco idiomas.

Espero que a Nicole também siga esse caminho e no futuro também me orgulhe ainda mais falando 2, 3 ou 5 idiomas, por quê não?

E você, também tem dicas para criar filhos bilíngues? Adoraria saber mais sobre a sua experiência.


  • 0

Parmigiano reggiano, o único parmesão! Veja como é visitar uma fábrica do famoso queijo italiano!

Na minha viagem para a região da Emilia Romagna, na Itália, visitei uma uma fábrica de queijo Parmigiano Reggiano, o único parmesão! Uma experiência super enriquecedora que me fez conhecer o dia a dia dessas pessoas que trabalham com amor pela produção do famoso queijo italiano.

Parmigiano Reggiano, o único parmesão!

O Parmiggiano Reggiano é um famoso queijo italiano utilizado em diversos pratos da gastronomia mundo afora.

O primeiro Parmigiano Reggiano foi fabricado pela primeira vez no ano de 1200 nos mosteiros beneditinos na área entre o Rio do Pó e as montanhas Apeninas na Itália. Hoje, o famoso Parmigiano é um produto DOP (Denominacão de Origem Protegida), o que quer dizer que esse tipo de queijo pode ser produzido somente na região demarcada para sua confecção.

Vale lembrar que o selo Parmigiano Reggiano só pode ser utilizando num queijo produzido e processado no local de origem, ou seja, nas províncias de Parma, Reggio Emilia, Modena, Bologna e no oeste do Rio Reno e em Mantua.

Além disso o produto deve ser produzido de acordo com regras restritas impostas pela União Europeia. Essas regras foram criadas para proteger consumidores e produtores.

parmigiano reggiano, o único parmesão

Como é a produção de Parmigiano Reggiano?

O dia na fábrica de Parmigiano Reggiano começa cedo pois o leite utilizado na produção do produto deve ser fresco, sem conservantes ou tratamento de qualquer tipo.  Resumindo, sai diretamente da vaca para os caldeirões de preparação do queijo (haha).

Desde esse momento podemos observar que o trabalho ali efetuado é tão minucioso que até parece uma  uma dança cuidadosamente ensaiada.

parmigiano reggiano, o único parmesão

O leite chega em uma caminhão depois é transferido para os caldeirões de cobre e onde é adicionado um tipo de soro natural, seguido de um processo de cozedura. Passo esse que deve ser minuciosamente calculado já que o leite não pode exceder a uma certa temperatura.

Outra curiosidade é que, até a alimentação das vacas que produzem leite para a produção do queijo parmesão, segue um regulamento. Essas vacas se alimentam de ervas crescidas apenas no local de origem e certas rações são estritamentes proibidas. Medidas que garantem a qualidade do leite utilizado na produção do Parmigiano Reggiano.

A visita à fabrica segue também um pequeno ritual. Logo ao chegar recebemos uma espécie de bata e um protetor para os sapatos. Depois acompanhamos o início do processo ao longe.

parmigiano reggiano, o único parmesão

O ambiente que encontramos é bem familiar. As pessoas trabalham em sintonia so passo que seguem a risca todos os detalhes do processo de produção do queijo, elas riem, brincam e as vezes, até cantam.

Isso me fez admirar ainda mais esse passeio, já que foi possível perceber que eles são felizes em mostrar o seu trabalho, compartilhar sua experiência e fazem os visitantes se sentirem super a vontade, sabe? Como se fossem artistas no palco dividindo a alegria de mostrar todo seu tanlento.

Durante a visita aprendemos sobre todo o processo que envolve a produção do Parmigiano Reggiano e no final podemos provar alguns dos deliciosos queijos que foram produzidos ali.

Uma experiência que eu super recomendo!

parmigiano reggiano, o único parmesão

Agora você já sabe que o Parmigiano Reggiano é o único e verdade parmesão nunca mais vai comprar “gato por lebre”, não é mesmo?

Minha visita à fábrica de Parmigiano Reggiano foi parte do cronomogama de passeios do Blogville. A opinião é minha. 😉


  • 0

3 programas ousados para aproveitar o dia dos namorados na Europa

Tags : 

O Valentine’s day ou o dia dos namorados na Europa pode ser uma boa oportunidade para apimentar o seu relacionamento. É uma data em que deixamos fluir nosso lado romântico, em que adoramos ganhar flores, jantar a luz de velas e fazer passeios de mãos dadas em cenários de filme. Mas quem disse que não podemos adicionar uma pitada de sensualidade para tornar essa noite ainda mais atraente para o casal?

Existem vários lugares que unem romantismo e sensualidade espalhados pela Europa afora. Comida, vinho, champagne, um show discretamente sensual ou até mesmo  striptease , por quê não? Então anota minhas dicas para sair da rotina nesse dia dos namorados e me agradeça depois. =)

Programas ousados para aproveitar o dia dos namorados na Europa

O Lido é um dos mais famoso cabarés de Paris e está localizado em um dos endereços mais exclusivos da capital francesa, a famosa Avenida Champs Élysée. Um passeio ideal para casal é passear pela região, aproveitando toda a beleza e luxo dos arredores e depois começar a noite naquele que pode ser considerado o maior e mais luxuoso cabaré da Europa.

Dia dos namorados na Europa

Além das bailarinas e dançarinos, o novo espetáculo do cabaret Lido, o Paris Marveilles, reúne patinadores, contorcionistas e até uma engolidora de facas. Isso dá uma ótima diversidade ao espetáculo. Claro, tudo apresentado de forma bem sensual e com muito topless.

Uma programa super agradável para se curtir a dois, e não digo só por mim. O Daniel também adorou e com certeza adoraríamos repetir em uma próxima viagem a Paris.

Veja como foi o nosso jantar e show no cabaret Lido de Paris!

Dia dos namorados na Europa

Foto por: Divulgacão Lido de Paris


Melt Bar – Stockholm

MELT é  Restaurante/Bar inspirado na New York dos anos 2o.  Local  ideal para apreciadores de fondue e bons drinks. Além da comida deliciosa o clima é bem glamouroso, você realmente se sente em outra época, sabe? A decoração típica da Belle Epoque, a forma de servir as bebidas e as “surpresas” que vão aparecendo durante a noite são um convite para entrar em um clima especial.

Dia dos namorados na Europa

Foto por: Thefork.se

Você pode apreciar cocktails de champanhe, cerveja ou absinto. O local também propicia uma atmosfera romântica, já que os pratos servidos são, geralmente, para duas pessoas. Nós optamos pelo fondue de queijo que estava delicioso e é servido com legumes super frescos e temperos suaves. Prato ideal para esse friozinho de fevereiro na Europa.  Finalizamos nossa refeição com um belo fondue de chocolate, que estava igualmente saboroso e perfeito para ser apreciado a dois.

Durante o jantar aguarde espetáculos burlescos, que combinam sob medida comédia e sensualidade. Para quem mora ou está em Estocolmo no Valentine’s Day na Europa, com certeza o Melt bar é um lugar especial para aproveitar a noite dos dias dos namorados. Perfeito para sair da rotina!

Dia dos namorados na Europa

Foto por: Thefork.se

Site oficial: Melt Bar Stockholm

The Lingerie Restaurant – Porto

No Porto, o  The Lingerie Restaurant apresenta um conceito de restauração temática dedicado ao erotismo, com uma aposta também na cozinha exótica. Todo o ambiente tem uma atmosfera sensual, que começa pelos empregados e empregadas, que servem a comida em lingerie.

Os casais ousados que visitarem o local devem estar preparados para shows de striptease masculino e feminimo durante a noite.

Dia dos namorados na Europa

Foto por: The Lingerie Restaurant

A proposta do The Lingerie Restaurant é abrir o apetite dos casais, mas não só o gastronômico (rs). Como não poderia ser diferente, os pratos servidos no local também têm uma conotação erótica. No menu encontram-se pratos como “Swing Couple”, “Grelo da Maria”, “Oh si carinõ”, “Lábios Rosados”,  “69 Italiano”ou “Orgia de Carnes”, entre outros. Até o pão tem formato de partes íntimas. Vale a pena conferir!

Durante as refeições os clientes são surpreendidos com espectáculos de striptease e table dance, para além de sobremesas afrodisíacas servidas de forma sensual. Vale lembrar que a reserva é obrigatória
Site oficial: The Lingerie Restaurant Porto

E você também tem alguma sugestão para aproveitar dia dos namorados na Europa de uma forma mais ousada?

 


  • 11
Wesley Safadão

O que o Wesley Safadão pode te ensinar sobre solidariedade – #aquele1porcento

Estou na correria dos preparativos para as minhas próximas viagens. Em breve vou realizar alguns sonhos antigos, como viajar para Índia e conhecer a exótica Islândia. Antes dessas viagens, retornarei ao Porto, cidade que tanto amo, onde tenho amigos e uma história de vida.

Em meio de tantas conquistas, parei para pensar no quanto sou abençoada pela vida, de ter essa oportunidade  incrível de conhecer o mundo, de experimentar culturas, de vivenciar lugares novos. Sou grata por isso todos os dias!

Mas existe um bichinho inquieto dentro de mim sempre dizendo que minhas vivências e oportunidades também podem e devem beneficiar outras pessoas.

Afinal, o que o Wesley Safadão tem a ver com essa história?

Faz alguns meses que conheci o projeto #reseproncenten, uma iniciativa da blogger sueca Linda Engström,  autora do blog www.155cm.se . O projeto tem por objetivo incentivar viajantes a doarem um pequeno percentual do seu orçamento de viagem para ajudar a quem precisa.

Você já pensou que 1% do orçamento da sua viagem pode ajudar alguém ou alguma causa? Pois é, a Linda não só pensou, como tem colocado essa ideia em prática e inspirado outras pessoas a fazerem o mesmo.

Bem, o Wesley Safadão já provou que aquele 1% é que faz toda a diferença, então por que não utilizar esse aprendizado para uma causa nobre, não é?

Wesley Safadão

 

“Infelizmente, viajar  o mundo é um luxo que nem todas as pessoas têm”, reflete Linda no texto de introdução do projeto. Enquanto nossa preocupação de viajante passa pela burocracia de um visto ou por aquele dilema entre sentar na janela ou do corredor em um avião, muitas pessoas não têm o básico para alcançar voos mais altos em suas vidas.

Mas, assim como Linda, acredito que podemos sempre fazer algo. Por isso resolvi compartilhar essa ideia.

É certo que não  vamos mudar completamente o mundo dessa forma, mas está em nossas mãos fazer uma pequena diferença e somar na vida de alguém, não é mesmo? #aquele1porcento

Mas do que se trata esse projeto?

A ideia surgiu quando Linda Engström conheceu no Instagram a história de um homem rico que se hospedou em uma suíte de 780 metros quadrados em Dubai durante 55 dias. Cada noite custava mais de R$70 mil, o que totalizou mais de R$3 milhões!

“É muito mais do que o que eu vou ganhar por toda a minha vida. Ao mesmo tempo, faço uma viagem ao redor do mundo que pode custar mais do que um fazendeiro pobre em Mali ganhará ao longo da vida. As condições econômicas e oportunidades são diferentes entre os indivíduos e grupos em todo o mundo”, explica Linda, evidenciando como surgiu a ideia do projeto.

A iniciativa #reseprocenten (porcento da viagem,  em tradução livre) tem como objetivo incentivar as pessoas a doarem 1% do seu orçamento de viagem a alguma instituição, projeto ou mesmo a uma pessoa diretamente.

Agora vamos pensar juntos: quantos viajantes estão lendo esse texto agora? Quantos amigos/familiares viajantes você tem?  Podemos ajudar também levando a palavra, certo? Já dizia minha sábia avó: de grão em grão a galinha enche o papo. =)

Como e quem você pode ajudar?

A sugestão da idealizadora do projeto é que as doações sejam feitas de diversas maneiras: o valor pode ser doado diretamente para uma família de uma aldeia pobre, a uma ONG que trabalhe com apoio às crianças desabrigadas ou a alguma organização que trabalhe para fortalecer a autonomia e os direitos das mulheres.

Se você ainda tem dúvidas  de onde e a quem você pode ajudar, tenho algumas sugestões:

Malala Fund: Uma fundação que defende, a nível local, nacional e internacional, recursos e mudanças políticas necessárias para garantir que meninas tenham o direito de completar 12 anos de escola. 

Malala Yousafzai foi baleada em 9 de outubro de 2012, quando voltava da escola. Um pistoleiro mascarado entrou em seu ônibus escolar e chamou Malala pelo nome. Ela foi baleada com uma única bala que passou por sua cabeça, pescoço e ombro. O motivo do ataque se deve ao fato de que Malala lutava pelo direito de meninas paquistanesas irem à escola. 

Apesar de ainda sofrer ameaças, Malala continua lutando pela causa. Em 2014 ela ganhou o prêmio Nobel da Paz e doou todo o valor do prêmio para a construção de uma escola para meninas no Paquistão.

 

Latin American Womens Aid Refuge: O Refúgio Latino-Americano de Assistência às Mulheres (LAWA) é uma instituição de caridade do Reino Unido dirigida por e para mulheres latino-americanas, negras, e de outras minorias étnicas que capacita e apoia mulheres e crianças vítimas de violência doméstica oferecendo alojamento de emergência e uma gama de serviços de apoio a essas mulheres e crianças.

Você também pode fazer doação para alguma instituição que já conheça ou alguém mais próximo. Aquela criança que ainda não comprou o material escolar, aquela família que está precisando de alimentos, instituições que estão recebendo refugiados de guerra em sua cidade.

As possibilidades para fazer algo de bom com aquele um por cento do seu orçamento de viagem são intermináveis!

Marque uma foto da sua viagem com #travelshare #reseprocenten ou #aquele1porcento, e nos diga a quem o a qual instituição você vai ajudar na sua próxima viagem.

Para conhecer mais sobre a iniciativa acesse: http://www.155cm.se/2016/02/25/reseprocenten/


  • 0

Onde comer marisco no Porto – Restaurante Os Lusíadas

Tags : 

Se você procura por onde comer marisco no Porto saiba que a proximidade com o Oceano Atlântico faz da cidade um lugar ideal para apreciar essas iguarias. Em Matosinhos, Região Metropolitana do Porto, facilmente alcançável de carro ou com o metrô de superfície, encontramos as famosas marisqueiras, locais especializados em pratos à base de mariscos. Visita imperdível para amantes de frutos do mar!

Onde comer marisco no Porto

Restaurante Os Lusíadas – Foto por: Agenda Berlim

A maioria das marisqueiras da cidade encontram-se nessa região por conta da proximidade com o Mercado de Peixe de Matosinhos, lá os restaurantes têm a possibilidade de comprar peixes e mariscos diretos da fonte, ou seja, os produtos estão bem fresquinho todos os dias.

Um dos restaurantes que eu amei conhecer na região foi o Restaurante os Lusíadas, que aliás é recomendado pelo Guia Michelin.

Onde comer marisco no Porto -Restaurante Os Lusíadas

O restaurante Os Lusíadas, destaca-se pela decoração acolhedora e elegante e também, pela confiável procedência dos peixes e mariscos.

Os produtos servidos são tão frescos que é possível, através de um aquário, escolher as iguarias a serem preparadas pelo chef do estabelecimento.

Visitei o Restaurante Os Lusíadas durante minha participação no II Encontro Europeu de Blogueiros Brasileiros no Porto,  e não poderia esperar uma experiência mais agradável e apetitosa.

Assim que chegamos ao local, uma mesa farta de mariscos já nos aguardava. Experimentamos a sapateira recheada, ameijoas a bolhão pato, muito camarão e as exóticas percebas, um crustáceo de aparência bem estranha mas acredite, vale a pena dar uma chance a ele. Nesse caso vale aquela máxima, quem vê cara não vê sabor. Experimente!

Leia também: Comidas típicas que você precisa experimentar no Porto

Para o prato principal nos aguardava uma das especialidades da casa, um robalo preparado de uma forma inusitada. Envolto em uma cama de sal, o peixe é flambado no meio do salão de jantar sob o olhar atento de todos os bloggers e clientes que estavam lá.

A confecção quase artística e a própria montagem do prato fazem parte de um inigualável show de sabores. O peixe estava temperado a medida e delicadamente macio. Daqueles pratos que desmancham na boca, sabe?

Depois dessa orgia gastronômica eu não consegui experimentar a sobremesa, mas os colegas bloggers que provaram com certeza aprovaram.

Nossa visita ao Restaurante Os Lusíadas foi uma experiência tão saborosa e agradável que pretendo repetir na minha próxima visita ao Porto. Espero que seja em breve. =)

Créditos: As fotos desse post foram cedidas por CC BY-NC-ND Associação de Turismo do Porto e Norte, AR.

Como chegar: a melhor opção para chegar ao Restaurante Os Lusíadas é o metro, sentido Matosinhos.
Endereço: Rua de Tomaz Ribeiro 257, Matosinhos, Portugal

Site oficial: Restaurante Os Lusíadas

E você, também tem dicas de onde comer marisco no Porto?

 


  • 0

Kiruna – a cidade sueca que vai se mudar de lugar!

Você já imaginou o que aconteceria se uma cidade resolvesse se mudar de lugar? Isso é o que está acontecendo com Kiruna, na Suécia.

Situada no ponto mais ao norte da Suécia, a 200 quilômetros do Círculo Polar Ártico, Kiruna é, em muitos aspectos, um lugar de extremos. O verão é caracterizado por cem dias de claridade total. O sol simplesmente não se põe. No inverno, o astro-rei passa tenebrosos 50 dias sem aparecer. É um período de escuridão total e temperaturas que rondam os 20º C negativos.

Kiruna é palco de raros acontecimentos naturais. É lá que ocorre um dos fenômenos mais impressionantes da terra: a incrível Aurora Boreal.

O fenômeno acontece quando partículas eletricamente carregadas de energia solar entram em contato com os gases presentes na atmosfera. O resultado desse encontro é um hipnotizante espetá- culo de luzes que dançam no céu, mudando de lugar e de cores.

AuroraBoreal Kiruna

Foto: Divulgação Kiruna Lapland.

Veja minhas dicas de como ver a Aurora Boreal na Suécia.

A convite do governo sueco, eu e outros dez correspondentes que vivem na Suécia visitamos Kiruna, uma cidade que passa por grandes transformações urbanas. Não bastasse o fato de existir civilização num lugar tão peculiar, a cidade está fazendo as “malas” literalmente.

O motivo? A presença de uma mina que vai forçar a cidade a se refazer num ponto não muito distante de onde está edificada. Desde o nascimento, Kiruna foi projetada para coexistir com uma mina rica em minério de ferro.

OO fundador do município foi o geógrafo sueco Hjalmar Lundborhm.À época diretor da Luossavaara-Kiirunavaara Aktiebolag LKAB, empresa estatal responsável pelas atividades de mineração na região, Hjalmar observou que era necessário um ambiente funcional para a distribuição do minério extraído.

Fazia-se necessária também a construção de uma zona urbana no local. Para o geógrafo, não bastava apenas construir uma ferrovia no meio do nada. O local tinha de ser atrativo para os trabalhadores envolvidos na atividade mineradora.

Förstärkning genom betongsprutning.

A LKAB é a maior mina subterrânea do mundo e está em plena expansão. Testes realizados pela Luossavaara-Kiirunavaara Aktiebolag LKAB apontam a existência de minério de ferro a até 1,8 mil metros de profundidade.

Quanto mais funda a perfuração, mais puro é o material extraído. Para entendermos a grandiosidade da LKAB, seguimos para uma visita à mina. Adentrei a montanha Kirunavaara sem a mínima noção do que poderia encontrar ali.

Com poucos minutos e uma curta caminhada, minha noção de profundidade simplesmente foi para o espaço, dada a escuridão e a umidade daqueles grandes túneis que comunicam entre si formando um verdadeiro labirinto de rochas.

Kiruna

Há uma série de cuidados a serem tomados dentro de uma mina. Fiquei com um frio na barriga quando um dos seguranças incumbidos de nos conduzir mina adentro nos alertou sobre os requisitos de segurança.

Caminhamos mais um pouco e finalmente chegamos ao local de nosso tour, o Centro de Visitas da LKAB, localizado a 540 metros abaixo da superfície da terra. O espaço é um notável complexo com instalações modernas. Lá, até o wifi funciona numa velocidade razoável.

Kiruna

Atualmente destinada ao turismo, essa repartição é composta por um auditório, um museu, imensos túneis que guardam máquinas e outros objetos de exposição. Claro que não poderia faltar uma cafeteria! Afinal, na S écia, a pausa para o fika, a hora de apreciar um café acompanhado de um bulle (pão doce sueco), é algo sagrado, seja no alto de uma montanha, seja em um grande buraco na terra.

Mas por que Kiruna vai se mudar de lugar?

Mesmo com a riqueza mineral que contribui de maneira direta para a economia local, a presença da mina ameaça Kiruna.

“Precisamos deslocar a cidade porque a LKAB está em expansão. Todos os dias é retirada uma grande quantidade de minério e, quando esse material é extraído, a deformação das áreas próximas à mina é inevitável. Dessa forma, temos que mover a cidade antes que ela seja destruída”, explica a guia responsável pelo nosso tour.

Desde 2012, autoridades locais, cidadãos e diretores da LKAB dialogam para colocarem em prática o ousado plano de transferir a cidade para uma área a três quilômetros de onde ela está. A medida vai evitar que Kiruna seja ‘engolida’ pela mina.

Arquitetos, representantes da empresa e antropólogos integram a comissão “Kiruna 4 Ever” (Kiruna para Sempre), cuja missão é reconstruir a cidade.

A primeira fase desse plano tem conclusão prevista para 2018, ano em que serão entregues a nova praça central e a nova prefeitura. “Queremos reinventar Kiruna da forma mais moderna, mas, ainda assim, manter a essência e a identidade que foi construída aqui ao longo de um século.

Se alcançarmos esse equilíbrio, nosso plano terá sido bem sucedido”, comenta Eva Ekelund, gerente de desenvolvimento de Kiruna. Para manter a identidade local, 21 monumentos históricos da cidade serão transferidos. Eles serão desmontados e recolocados no novo centro.

“Esses edifícios vão ser retirados do lugar e remontados, peça a peça,como num quebra-cabeças”, explica Mikael Stenqvist, arquiteto que lidera a reconstrução de Kiruna. Um dos edifícios que serão transferidos é a Kirunas Kyrka (Igreja de Kiruna).

Idealizada pelo arquiteto Gustav Wickman, a construção de 1912 é inspirada no formato das tendas Sami, povos indígenas que habitam a região: uma charmosa construção vermelha, curiosamente utilizada tanto para eventos católicos quanto em celebrações de outras religiões. Tendo sido planejada para ser um local de todos, na igreja praticamente inexistem símbolos religiosos.

Entre uma conversa e outra com alguns moradores, tenho a impressão de que, para eles, a mudança é positiva. “Temos a oportunidade única de transformar a cidade em algo melhor”, comenta Dan Ludndström. Muito simpático, Dan faz questão de apresentar a casa onde reside, localizada em uma das áreas que serão demolidas na já iniciada primeira fase do projeto.

Dan e a esposa já procuram uma nova residência. “Já visitamos dois apartamentos, mas ainda não gostamos do que vimos. Na nova casa, queremos ter mais espaço para receber nossos filhos e netos. Não abro mão de uma varanda”, comenta.

Da atual residência, Dan tem uma visão privilegiada da montanha Kirunavaara e do empreendimento responsável pela futura demolição do imóvel. A LKAB oferece o valor de mercado dos imóveis, com um acréscimo de 25%, aos proprietários de apartamentos ou casas que optarem pelo ressarcimento financeiro.

A empresa também é responsável pela constru-ção de edifícios residenciais para os moradores que vivem de aluguel. Os novos apartamentos podem ser alugados a um preço reduzido nos primeiros cinco anos. Seguimos para uma reunião com Lars Bäckström, secretário de desenvolvimento de Kiruna.

No bate-papo com os jornalistas, ele explica que o município é responsável pela estruturação e execução do projeto de realocação, enquanto a LKAB faz as negociações com os moradores das áreas afetadas. “Em números, essa transformação vai afetar diretamente cerca de 6 mil pessoas. Antes de sair demolindo tudo, é necessário um plano viável de desenvolvimento”, comenta.

Outras cidades do mundo já tiveram de se mudar devido a grandes obras ou por questões ambientais. Mas o desafio de Kiruna é único dada a escala dessa mudança. “Temos de construir um centro da cidade e áreas residenciais. Tudo isso exige a construção de uma infraestrutura, como sistemas de água e esgoto e de abastecimento de energia elétrica”, explica Bäckström. O encontro com o secretário de desenvolvimento de Kiruna foi finalizado com um jantar no qual foi servido um prato típico da região: bife de rena com geleia de lingonberry, uma combinação agridoce muito apreciada na Escandinávia.

Durante o jantar deixamos de lado deixam as questões relativas à mudança de endereço de Kiruna  e a pauta passou a ser a belíssima Aurora Boreal. Presentes em um dos poucos locais do mundo onde o fenômeno acontece, tínhamos a esperança de assistir àquele espetáculo natural.

Aurora Boreal em Tromsø

A previsão de visibilidade da Aurora Boreal atingia quase a escala máxima, algo muito raro de acontecer. Pouco antes das 23h, fomos presenteados com um belíssimo show de luzes no céu. Em êxtase, entendi a razão de os moradores de Kiruna viverem tão orgulhosos do município, como divulga o site de turismo da cidade.

Para todos nós, o inverno rigoroso, com temperaturas abaixo de 0ºC, foi completamente esquecido por mais de duas horas. O que era o frio? Não sei dizer. Só tinha olhos para o céu de Kiruna que dançava lindamente sobre as nossas cabeças.


  • 13
Kimono Tour

O que fazer em Tóquio: Tour de Kimono em Asakusa

Tags : 

O tour de Kimono é uma maneira bem peculiar de passear pelas ruas de Tóquio.

Desde a minha adolescência eu sonhava em conhecer o Japão. Imagina que embarquei rumo a terra do sol nascente com o frio na barriga de quem estava realizado a viagem dos sonhos!

Kimono Tour - Tóquio

Eu queria que tudo fosse perfeito, como sempre imaginei, sabe? E para mim, uma parte essencial de uma viagem bem sucedida é o contato com os locais.

Eu adoro conhecer e conversar com pessoas de outras culturas! Por isso decidi fazer o Kimono and Street Food Asakusa Tour, um passeio guiado pela região de Asakusa vestindo kimono, traje típico japonês.

Tour de Kimono em Asakusa

O Asakusa Kimono tour  é um passeio a pé por Asakusa, uma das regiões mais interessantes de Tóquio. O local tem várias ruazinhas repletas de lojas, mercadinhos e tendas. Por ali não passa carro na maioria das ruas, lugar perfeito para se ter contanto com a cultura japonesa, experimentar comida típica e comprar presentes originais.

É em Asakusa que fica também um dos mais antigos templos budistas da cidade.

Kimono Tour - Tóquio

A experiência de imersão na cultura japonesa começa logo na loja de aluguel de kimono, onde na entrada devemos tirar os sapatos. Como cortesia nos são oferecidos as famosas surripas para serem utilizadas no local.

No Japão não se deve entrar com o sapato sujo da rua nos locais fechados. Isso inclui casas, hotéis, alguns restaurantes e outros estabelecimentos comercais.

Até já contei como foi jantar descalço em um restaurante tradicional do Japão.

Onde comer em Toquio

Voltando ao kimono (rs) a loja disponbiliza diversas opções de estampas e cores. Difícil escolher!

Mas segui a sugestão da simpática Amy, nossa guia durante o passeio por Asakusa, e escolhi um elegante kimono com delicadas flores laranjas, um cinturão no tom das flores, que se sobressaiu perfeitamente sobre o traje. Fiz também um penteado de trança e coque com flores também..

Kimono Tour - Tóquio

Devidamente vestidos com nosso kimono, o passeio em si começou com uma pausa estratégica para uma foto com vista para a Torre de Tokyo.

Confesso que fiquei até com um certa adrenalina de ficar parada bem no meio de uma avenida de Tóquio só para apanhar esse ângulo, mas valeu a pena… (risos)

Kimono Tour - Tóquio

Logo a seguir entramos nas ruas exclusivas para pedestres, bem no meio do burburinho de Asakusa, onde ficam as lojas, restaurantes e o famoso templo.

Tinha até os famosos animal cafes, cafeterias em que animais como corujas, cachorrinhos e coelhos são a principal atração.

Kimono Tour - Tóquio

A partir daí, nosso passeio foi uma verdadeira imersão aos sabores da gastronomia japonesa.

Experimentamos doce de batata doce, salgados de carne, doce de feijão. Voas opções não faltam… E, resumindo, cada parada era um novo petisco para provar.

Kimono Tour - Tóquio

Entre uma comidinha e outra, visitamos o famoso templo Senjo-ji, o mais antigo e famoso templo budista de Tóquio. O local é frequentado por turistas e locais.

É possível ver monges fazendo suas preces e os pessoas deixando seus pedidos e seguindo rituais de purificação para entrar no templo.

Kimono Tour - Tóquio

E mesmo depois de tanto petiscar ainda fizemos uma pausa para o almoço. Experimentei um prato de noddles caseiro, acompanhando com tempura de camarão, legumes e chá.

Kimono Tour - Tóquio

Não podíamos deixar de provar também o famoso sorvete de matcha, o chá verde japonês, que aliás, é uma delícia! Eu adoro chá e achei super conveniente um sorvete com esse sabor, uma combinação exótica e bem apetitosa. A loja de matcha fica bem próxima ao templo Senjo-ji.

Kimono Tour - Tóquio

O passeio não poderia terminar sem uma pausa para fotos com essas casinhas charmosas de arquitetura típica do Japão, né?

Kimono Tour - Tóquio

Foi uma tarde super agradável, aprendendo muito sobre a história e a cultura do Japão e ficamos mais próximos do jeito de ser tão tradicional e educado dos japoneses. Um passeio que eu super recomendo para quem viajar para Tóquio.

Adorei muito e já quero voltar parpara  viver essa experiência novamente. Já sabe que eu adoro repetir coisa boa, né?

E você, também gostaria de fazer um tour de kimono em Tóquio?

Site oficial: Food Tours Tokyo


  • 16
Onde comer em Toquio

Tóquio – Jantar no Restaurante Unkai do Hotel Ana Intercontinental

Tags : 

Se tem algo que me fascina na cultura japonesa é a gastronomia. Durante a minha primeira viagem ao Japão fiquei ainda mais apaixonada pelos  sabores dessa culinária cheia de cores, texturas e sabores. Fui a vários lugares legais, mas uma das experiências mais marcantes dessa viagem a Toquio foi o jantar no Restaurante Unkai do Hotel Ana Intercontinental

Estávamos hospedados no Hotel Ana Intercontinental, um luxuoso 5 estrelas, localizado a poucos minutos de Ginza, uma das áreas mais badaladas da cidade. Durante nossa estadia fomos convidados para um jantar no Restaurante Unkai, localizados no próprio hotel.

Onde comer em Toquio

Toquio – Jantar no Restaurante Unkai do Hotel Ana Intercontinental

Na recepcão do local, as simpáticas atendentes nos recebem devidamente vestidas com seus belíssimos kimonos, nos fazem a tradicional reverência e nos encaminham para a nossa mesa. Você já deve ter ouvido falar que os japoneses se cumprimentam assim, certo? Aliás depois de alguns dias em Toquio eu já estava completamente habituada a esse gesto e também cumprimentava a todos dessa forma (haha).

Onde comer em Toquio

Ao fazer a reserva para o restaurante Unkai você pode escolher entre jantar no salão principal ou optar por uma sala privada, que foi a nossa opção. Queríamos uma noite mais tranquila, já que ainda estávamos cansados da viagem.

Para entrar na sala de jantar seguem-se as tradições japonesas. Devemos tirar os sapatos e deixá-los a entrada, como cortesia, recebemos as famosas surippas, chinelos típicos japones, que podem ser usados caso seja preciso sair da sala durante o jantar.

Onde comer em Toquio

Achei uma delícia jantar nesse estilo. Mesmo estando em um restaurante nos sentíamos em casa, sabe? Esse ritual de retirar o sapato e sentar-se no chão é uma tradição levada muito a sério no país. No Japão não se deve entrar em lugares fechados com o sapato. Casas, hoteis e até mesmo alguns estabelecimentos comerciais seguem a cultura de deixar as surippas à entrada para que o visitante possa tirar os sapatos.

Na verdade, já estou acostumada com esse  hábito, em Estocolmo também tiramos os sapatos para entrar em casa e até mesmo em locais públicos: como escolas e academias.

Eu sempre mostro curiosidades sobre a vida na Suécia no Snapchat gi-vpeuropa, vem ver você também! =)

Outro detalhe que achei super interessante é que sentávamos no tatame mas existia um vão embaixo da mesa para que ficássemos ainda mais confortáveis. Ao nos servir, nossa simpática atentende ajoalhava-se e cuidadosamente nos apresentava as bebidas e a composição de todos  os pratos.

Onde comer em Toquio

Desse forma o nosso jantar no restaurante Unkai do Hotel Ana Intercontinental começou de uma forma super relaxante e bem descontraída. A música tradicional, tocada em um volume bem sutil, também contribuía para essa que seria uma verdadeira imersão na cultura japonesa. Para esse jantar optamos pelo menu degustação, com harmonização de vinhos.

Onde comer em Toquio Onde comer em Toquio

Onde comer em Toquio

Ao longo da noite experimentamos vários pratos que ainda não conhecíamos e claro, provamos ainda sushi, sashimi e tempura, clássicos japoneses que eu adoro!

Mas, sem dúvida, o ponto alto do jantar foi experimentar o blowfish, ou fugu em japonês, aquele famoso peixe que libera toxinas letais. Confesso que eu estava com um certo medinho, já que de acordo com o Governo do Japão, cerca de 30 a 50 pessoas são hospitalizadas todos os anos após o consumo desse peixe. Alguns desses casos levam a morte; e eu não queria ser uma deles! (haha)

Vale lembrar que apenas restaurante certificados e chefes especializados podem servir esse prato. O que é o caso do Restaurante Unkai.

Além de ter sido uma agradável experiência de  imersão na cultura japonesa essa foi uma excelente noite para nossa viagem em família. A Nicole se divertiu muito no espaço, brincou na varanda do jardim e assim  tivemos um jantar super agradável.

Onde comer em Toquio

Lugar lindo, comida incrível, atendimento super agradável e uma verdadeira viagem aos sabores e cores da gastronomia japonesa. Foi uma maneira deliciosa de terminar 2016 em Toquio!

Site oficial: Restaurante Unkai

Fontes: Daily Mail; Japão em Foco.

Quem também tem posts incríveis sobre gastronomia japonesa é a Marina Vidigal Brandileone, do blog Ideias na Mala. A Marina já morou no Japão e tem vários posts cheio de dicas bacanas sobre o país. Confere lá. =)

 


  • 0
Como realizar sonhos em 2017

Como realizar os seus sonhos em 2017?

Tags : 

Andei falando sobre como realizar os seus sonhos em 2017 no snapchat Gi-vpeuropa. As dicas foram tão populares por lá que resolvi salvar alguns desses snaps e “reciclá-los” em um vídeo bem descontraído para o meu canal no Youtube.

Se você ainda não viu  play agora e assista agora. Está imperdível!

Como realizar os seus sonhos em 2017

Agora que você já viu o vídeo e sabe da importância de colocar os seus sonhos no papel, preparei também algumas dicas práticas pois, nem sempre é fácil definir nossos objetivos e, principalmente, escrevê-los de uma forma concreta, não é mesmo?

Como realizar os seus sonhos em 2017

O que eu faço todos os anos é escrever o “Caderno dos Sonhos da Gi”. Nesse caderno eu separo os meus planos  por áreas da minha vida. Acadêmica, profissional, pessoal, viagens, material. Veja esse exemplo:

Objetivo acadêmico

O quê: Quero fazer um curso de francês

Quando: (verificar quando o curso se inicia)

Quanto: Pesquisar os cursos mais em conta

Quanto preciso economizar até o início do curso?

Como boa jornalista (rs) eu não abro mão dessas 6 perguntas básicas (quem; o quê; quando; onde; como; por quê). Então no meu caderno de realização dos sonhos eu também utilizo essa técnica da escrita jornalística. Dessa forma acabo colocando a minha mente para trabalhar em busca das respostas que preciso.

Outra vantagem dessa estrutura é, que o fazer essas perguntas, percebo exatamente quais são as informações necessárias para que eu possa colocar em prática cada passo até a realização de cada objetivo.

Como realizar os seus sonhos em 2017Essa técnica pode ser utilizada para todas as áreas que você imaginar. Quando se trata de  algum objetivo que envolva dinheiro, ela pode ser ainda mais concreta. No vídeo eu citei o exemplo “comprar um telefone novo”, veja como podemos escrevê-lo:

Objetivo material

O quê: quero um telefone novo

Quanto custa: R$1000,00

Quando: quero comprar em junho

Quanto preciso economizar por mês?

Depois basta fazer os seus cálculos pessoais e economizar. 😉

Parece uma técnica simples, mas a verdade é que ao escrever os seus sonhos em um papel a sua mente passa a trabalhar nas soluções para o que antes parecia um problema ou um sonho  bem distante. Experimente!

Vale lembrar que é muito importante saber exatamente o que você quer. Não é muito viável escrever algo como “quero ter dinheiro para comprar o que eu quiser”. Precisa ser mais específico, sabe?

Ano passado coloquei uma das minhas listas no Youtube: 30 coisas para fazer antes dos 30.  Acredita que já realizei quase todos os sonhos? Inclusive viajei 2 vezes para a Ásia em 2016, visite Tokyo e também aprendi a nadar, algo que parecia impossível. Parece que essas listas têm mesmo algum poder!

Como realizar os seus sonhos em 2017

E você, também tem alguma dica de como realizar seus sonhos em 2017? =)

Esse ano também resolvi experimentar uma técnica chamada “Mapa dos sonhos”, ao pesquisar sobre o assunto, conheci o trabalho da Luana Ferreira , que tem um site incrível sobre “despertar” e também várias dicas sobre realizacão de sonhos. Se você quiser se aprofundar mais no tema pode acompanhar no site Natural Vibe.

Encontrei também essa técnica de Mapa dos Sonhos no site Invertisa.com.br 

 


Viajar pela Europa no Facebook

Hotéis

Booking.com

Instagram

Gisele Almeida em O mundo segundo os brasileiros

Receba nossas dicas imperdíveis para a sua viagem

Promotion 468x60 468x60_reload-V2
Close